perversões parte4

Publicado por: herege em 08/02/2021
Categoria: Incesto Hetero
Leituras: 321 / Votos: 0 / Comentários: 0
Meu desejo estava se realizando, faltava somente invadir o cuzinho virgem dela, para deixa-la completinha. Carol já se tornara uma loba faminta no cio , uma cadelinha obediente que aprendia rápido como ser uma putinha gostosa.
Eu me esquecera, completamente que ali estava minha norinha, e meu desejo não era somente desfrutar daquele corpinho , e sim transformar ela numa devassa numa puta insaciável, eu sabia que ela era uma loba faminta.
Mesmo com seus vinte e três anos Carol tinha todos os traços de uma garota bem mais jovem , pois tinha apenas um metro e cinqüenta e dois de altura , e aquele corpinho magro e branco era um mar de perdição, sua bundinha pequena empinada apetitosa implorava para ser arregaçada.
Enquanto sugava seu grelo meu dedo lubrificado pela sua seiva ia abrindo caminho alargando seu cu, ela gemia , contorcendo o corpo num misto de dor e prazer ao mesmo tempo, em seu rosto estava estampada toda luxuria que ela sentia ,uivando como um animal ferido.
Quando então eu introduzi a fina mangueirinha no seu rabo despejando quase dois litros de água morna dentro dele ,ela teve uma das sensações nunca antes sentidas, era seu primeiro enema, sua primeira chuca , e aquela lavagem intestinal a deixou alucinada, ela de cócoras expelia o liquido que lavava suas vísceras gozando pervertida com aquela invasão mijando pelo cu literalmente.

Eu retirei as argolas do meu pau, e colocando ela de quatro, fui aos poucos penetrando seu anús lentamente, arrancando gemidos de dor e suspiros de prazer dela que gozava loucamente rebolando a bunda ajudando na penetração, rocei meus pentelhos contra suas nádegas, com o pau totalmente dentro dela. Fiquei extático , somente pulsando o cassete dentro dela que contraia o cu massageando meu pau.
Puramente por instintos, ela rebolava ondulando sua bunda a trazendo de encontro ao meu pau, que somente pulsava dentro dela.
Ela chorava compulsiva, mas não era um choro de dor nem de lamento era um choro luxurioso de quem gemia de prazer , de quem chorava gostoso no cassete num delírio profundo Carol estava em êxtase .
A intensidade dos seus orgasmos deixava os poros de sua pele arrepiados ,seu corpo tremia incontrolado, seus olhos estavam dilatados, uma baba espessa corria dos seus lábios, totalmente ensandecida.
Eu estocava forte rápido profundo dentro dela ,meu pau parecia ter vida própria ,se contraindo ate que descarreguei jatos seguidos de porra , Carol uivava igual uma cadela no cio sentindo minha porra bater de encontro aos seus intestinos, eu suava em delírio enquanto ela desfalecia momentaneamente.
Eu a fitei largada sobre os lençóis toda arrombada, e já comecei a imaginar o quanto eu a transformara.
Com certeza Carol seria uma puta insaciável, e iria receber muitos paus dentro dos seus buracos, eu já imaginava ver ela metendo com vários machos ao mesmo tempo.



Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto