Inimiga de Colegial

Publicado por: cacau3001 em 31/01/2020
Categoria: Lésbico
Leituras: 986 / Votos: 3 / Comentários: 3
   É engraçado as coisas que acontecem quando a vida dá uma revira volta, e é justamente sobre isso a história que vou contar.
   Certo dia eu estava andando pelo parque, uma coisa que eu faço frequentemente pois acho legal, só que desta vez resolvi inovar e sentar debaixo de uma árvore ao invés de um banco. Estendi um pano e fique ali, olhando para as árvores por algum tempo, até que quando resolvi abaixar minha cabeça, vi um rosto conhecido. Ela estava correndo e parou a poucos metros de mim para respirar. Não sabia ao certo de onde, mas sabia que a conhecia e então decidi acenar.
   Quando acenei ela me reconheceu e veio em minha direção. Estava com uma calça leg de caveirinha, uma blusa azul que cobria seu bumbum e um tênis de corrida. Seu cabelo preso em um rabo de cavalo que ia até a altura do umbigo e uma garrafinha de água na mão.
   "Oi, quanto tempo não!", disse ao se aproximar. Não sabia de onde a conhecia então resolvi perguntar, mas a resposta foi mais engraçada ainda. Disse que era a Suzana, uma velha inimiga de colegial. Quem diria, uma mulher linda e educada que antes eu julgava ser horrível. Ficamos uma meia hora conversando e eu resolvi chamá-la para conversamos melhor, perguntei se ela queria ir a um restaurante da região. Relutante, aceitou o pedido pela minha insistência, então me abraçou e foi embora.
   A noite nos encontramos ali, e ela estava muito mais bonita. Com o cabelo meio preso num coqui e uma linda gargantilha, seu vestido era armado e era acima do joelho. Tinha uns detalhes nas costa que deixavam sua pele ainda mais bonita, decote em v na parte da frente e um salto agulha preto. Carregava apenas uma bolsinha de mão. Claro que não podia fazer feio né?! Coloquei um colâ branco para acentuar mais meu peitos, e seguindo a mesma lógica, usei uma calça preta meio rasgada e que marcava bem meu bumbum, que era grande e eu queria deixar bem claro. Estava de cabelo solto, repartido para o lado, um all star branco e tinha uma pequena bolsa em meu ombro. "Uau, você está linda Clara!" disse ela ao se aproximar. "Imagina, você também está incrível" respondi ao seu comentário.
   Fomos jantar e acabamos ficando amigas bem íntimas já enquanto esperávamos a comida. Descobri que ela tinha terminado o noivado pois seu noivo a traira, isso já faziam 4 meses e que desde então estava sozinha, por escolha própria, disse que homem era muito complicado de lidar. Acabei confessando que tinha um namoradinho, mas que estava brigada já há 1 mês pois ele achava que mandava em mim. E assim falamos sobre muitas coisas.
   Já no finalzinho do jantar, pedimos duas taça, mas enchemos somente até seu meio de vinho para não ficarmos bêbadas, afinal, nossa intensão era apenas brindar a nova amizade. Mas bem na hora de brindar, deixei o vinho cair entre seus seios e a molhei. Por impulso peguei um gradanapo e comecei a limpar, e, quando me dei conta do que estava fazendo, parei e pedi desculpas como uma desesperada. Ela começou a sorrir e disse que tudo bem, que era melhor irmos ao banheiro para poder nos limparmos. Nesse momento fiquei mais tranquila por ela não receber meu gesto na má intenção.
   Fomos ao banheiro e pedimos a um garçom para não deixar ninguém entrar pois ela teria que se lavar. Então entramos e eu comecei a lavar minhas mãos e meu braço, mas ela tirou o vestido, e quando olhei para o espelho, lá estava ela, do meu lado, apenas de calcinha e sutiã. Sua calcinha era de renda na parte de trás, preta e com algumas cordinhas na frente. O sutiã tomara que caia, também preto e de renda da metade do peito para cima. Eu fiquei ali, olhando para o espelho, tentei disfarçar, mas ela estava muito sexy e eu não conseguia parar de olhar. Ela se aproximou e começou a lavar seus peitos na pia, assim como a barriga também. Eu via ela pegando água com a mão e colocando em seu peito, a água escorrendo até sua barriga e eu só pensava que queria estar ali, lambendo eles.
   Ouvi alguém na porta dizendo que precisava entrar e o garçom dizendo para ir ao outro banheiro, foi assim que voltei a realidade e delisguei a torneira. Ela disse "ótimo, já que acabou, poderia me ajudar?", sem ter mais o que dizer, ajudei. Peguei papel higiênico e comecei a secar seu corpo. Meus olhos seguiam minha mão, que passou de seu umbigo, então sequei bem toda sua barriga, subi mais um puco e sequei entre seus peitos, onde o sutiã não cobria. A melhor parte foi quando sequei a parte de cima dos seus seios, e quando olhei para o rosto dela, percebi que estava mordendo os lábios, o que a deixava mais sexy ainda. Fiquei olhando firme para seus lábios, com uma vontade enorme de beijá-la, mas fomos interrompidas novamente por batidas na porta e então disse para que ela colocasse o vestido.
   Quando saímos do banheiro fomos direto para o caixa e eu paguei a conta, pedi perdão pelo estrago e fomos embora. Caminhamos e conversamos de novo até o parque. Chegando lá, ela me convidou para irmos até a sua casa, afinal, a noite não tinha sido uma das melhores e eu tinha pago todo o jantar, disse que não dormiria cedo mesmo pois não trabalharia no dia seguinte, então aceitei o convite e fomos para sua casa.
   Ao chegar lá, coloquei a bolsa no sofá, ela me trouxe duas taça e me disse para pegar um champanhe enquanto tirava aquela roupa suja. Obediente, fiz conforme havia pedido. Coloquei champanhe na taça e sentei no sofá com a minha na mão, então reparei no espaço. Uma sala linda, dois sofás, um de frente para o outro, com um centro de mesa branco e um jarro. Vários quadros espalhados, uma mesa de vidro no canto e uma televisão ao final dos sofás. Tinha uma bancada americana que dividia a sala da cozinha e um lindo tapete.
   Comecei a olhar o chão, e quando subi o olho pelo corredor, lá estava ela, de lingerie preta, calcinha totalmente de renda, sutiã bem apertado, lacinho na perna direita e cabelo solto. Fiquei olhando enquanto ela vinha até mim, sentou do meu lado e disse no meu ouvido sussurrando "percebi como você me olhava, e também estou afim de fazer coisas com você". Então ela passou a mão pelo meu cabelo, desceu pelo meu pescoço, passou entre meus peito, minha barriga, e só então abriu o botão e o zíper das minhas calças e deu um sorriso malicioso. Ela se levantou e me pegou pelo braço, tentou me levar para o quarto, mas eu a puxei de volta e disse "eu te quero aqui, no sofá" e dizendo isso a beijei. Aquele beijo foi exatamente o que eu precisava, e com muita pegação ficamos nos beijando por um tempo.
   Peguei-a pelo braço e a deitei no sofá, então enfiei a mão dentro do sutiã e comecei a apertar seus peitos, levei minha mãos, ainda por dentro, até as costa e abri seu sutiã. Tirei e comecei a chupar um peito enquanto acariciava o outro. Ela gemia baixinho, e percebi que estava gostando. Peguei a mão que estava no seu peito e desci até sua calcinha e por fora comecei a acariciar sua buceta que estava molhadinha de tesão. Depois de quase endoidar ela, comecei a descer em direção à sua buceta e ela cada vez mais gemendo alto, então quando cheia lá, tirei sua calcinha com minha boca, subi, e fiz um sexo oral maravilhoso. Agora já não se via uma mulher gemendo comportadamente e sim alto e com muito tesão. Eu chupava sua buceta com todo prazer então a penetrava com meus dedos.
   Em seguida, foi a vez dela me fazer gemer. Me pegou pela mão e me deixou em pé, me colocou de frente na parede e tirou minhas calças. Pegou meu cabelo e levantou para que eu segurasse, então começou a beijar meu pescoço enquanto tirava meu colã. Eu não estava de sutiã e ela aproveito para apertar meu peitos enquando me beijava no pescoço e descia suavemente pelas minhas costas. quando chegou perto da minha bunda, pegou as alças do meu colã e foi tirando, e no momento que terminou de tirar, deu um tapa na minha bunda que me fez dar um gritinho. Depois tirou minha calcinha e começou a beijar minha bunda enquanto acariciava meu clitóris com sua mão.
   Me virou e começou a fazer uma sexo oral divino que me fez gemer como uma louca. Seus dedos me penetrendo e aquela língua selvagem, quase me fez gozar, mas então ela pegou um vibrador na gavetinha da estante da TV e disse para que eu deitasse. Desobediente, eu peguei o vibrador da mão dela, a joguei no sofá e comecei a penetrala com o vibrador. Ouvir seu gemido era incrível, era como se eu mesma estivesse gozando, e então ela esguichou. Pegou o vibrador e começou, agora, a me penetrar, e era maravilhoso, não conseguir conter meus gemidos e muito menos segurar o gozo. "Ohhh, Aaaai, Hummmm", e gozei.
   Depois daquele dia, para quê homem?! Rsrsrs


Comentários

herege em : 14/02/2020

interessante nunca comentam os contos aqui , porquevsera que os leitores nao comentam


teca em : 12/08/2020

Epa vou defender os leitores, assim que os escritores, passarem a comentar, os leitores os seguirão. Quanto ao conto. Cacau, adorei a leitura, nota 10.


turinturambar em : 20/12/2020

Belíssimo conto