Reencontro com a amante depois de anos...mesmo fogo

Publicado por: scorpion em 11/10/2021
Categoria: Sexo Casual
Leituras: 85 / Votos: 0 / Comentários: 0
Estive com a Ela durante 3 anos, na época ela era casada, mas não se resolvia, foi ai que comecei a namorar e ela nunca mais quis me ver. Fiquei sabendo depois que ela separou e não soube mais nada.
Um dia sonhei com ela, resolvi ligar, mas ela ñ atendia minhas ligações, tentei ligar para o telefone fixo, mas ela havia se mudado e também mudado o nº. De tanto tentar pelo celular ela me chamou no Messenger. Conversamos um pouco e disse que queria vê-la, que precisava conversar, ela relutava, relutava até que a convenci a vir aqui em casa um dia à noitinha.

No dia combinado, mais ou menos 21 horas ela deu um toque no meu cel e abri o portão da garagem, entrou com o carro e como ainda se lembrava do nº do alarme eu apenas joguei as chaves. Quando chegou na porta do apto, nossa, estava linda de mais, com um vestidinho preto um pouco a cima do joelho, sapatos pretos e com os cabelos soltos e ainda úmidos, entrou, achei que estava nervosa, beijou-me o rosto e sentou no sofá. Perguntei se queria beber algo, perguntou-me o que eu iria tomar, disse que tinha uma cervejinha, ela riu e disse que necessitava de algo mais forte, por sorte eu tinha alguns limões e uma vodca, logo fiz uma caipa e trouxe uma cerva. Sentei ao lado dela no sofá, ela perguntou o porquê de eu sentar tão próximo, disse que estava com saudades, que tinha sonhado com ela e que não conseguia ficar mais tempo ser ter e estar com ela. Tomou toda a caipa de uma só vez e pediu outra, levantei e fui fazer outra. Quando estava na cozinha ela apareceu e disse não entender o porque, o que eu queria com ela. Cheguei perto e a abracei, quando fui beijar ela se afastou e voltou para a sala, logo eu estava ao seu lado de novo. Sentei ao lado dela, quando passei a caipa para ela olhei bem em seus olhos e larguei um "eu te amo" sem pensar, e beijei-a na boca, ela se afastou, segurei pelos cabelos e agora sim ela correspondeu ao meu beijo, dizendo que não, que eu não merecia, que ela sabia bem o que eu queria. Larguei o copo na mesa ao lado do sofá e fui beijando com mais vontade, beijei o pescoço e vi que ficava com tesão, eu sabia onde ela gostava de ser beijada. Nesta altura eu já estava de pau duro, e comecei a passar a mão nas coxas, subi por baixo do vestido, foi quando ela tentou sair do sofá, agarrei-a e acabou ficando de quatro no chão, não tive dúvidas, agarrei-a por trás, baixei a calcinha e enfiei a língua no cuzinho, ela reclamou, baixei minha bermuda e coloquei o pau dentro da buceta, ela só dizia que não, que não podia que eu não era dela, mas comecei a bombar com força e vi que ela estava curtindo, começou a gemer e disse para enfiar forte, todo, com força que ela queria gozar, que queria a tempo fuder gostoso, ficamos assim não mais que dez minutos, quando notei que a buceta apertava meu pau e que ela ia gozar, aumentei o ritmo e avisei que também iria gozar, pediu que dentro não, que eu gozasse nas costas, dei um tapinha na bunda e mandei calar, quando ela começou a gozar, gemer alto e eu também pronto para gozar, ameacei tirar, gritou como uma louca:
- NÃO TIRA...NAÕ TIRA,ENCHE DE PORRA MINHA BUCETA,
Apertou a bucetinha impedindo que eu tirasse, rebolando e gritando, foi quando gozei gostoso dentro, sentia as paredes da buceta querendo sugar meu pênis, parece que não queria deixar cair nenhuma gota de porra fora. Caímos para frente, e fiquei ali dentro, deixando meu pau amolecer e beijando muito, ela só dizia que era perfeito, que era o pau que a mais fazia feliz.

Levantamos e ela pediu para tomar um banho, dei a toalha, mas quando estava no banho, tirei toda minha roupa e entrei no box:
- VEIO TOMAR BANHO COMIGO SAFADO;
Comecei a ensaboar todinha, ela tem um bunda linda, quando cheguei no rabinho aproveitei que estava ensaboado e enfiei um dedinho no cú, ela deu uma gemida e disse que eu tinha sido o único a comer aquele rabinho, eu ri e disse que era muito gostoso e queria também. Terminei de ensaboar e ela disse que agora era a vez dela me lavar, começou a me ensaboar, costas, tórax e foi descendo até que começou a passar a mão no meu pau, passou o sabonete, deixou a água tirar todo a espuma, se ajoelhou e começou a lamber minhas bolas, meu pau que já estava duro e deu uma lambidinha nele, voltando a lamber e chupar as minhas bolas, colocava uma, depois a outra na boca, me deixando louco, logo colocou meu caralho na boca e começou a chupar, tirava, passava a língua e enfiava tudo até trancar na garganta, eu encostado na parede do box agarrava-a pelos cabelos e as vezes batia na cara, dizendo, ou melhor mandando chupar com força, que mostrasse como ela desejava o meu pau. Notei que se continuasse assim eu iria gozar, e não queria gozar na boca, tirei meu pau da boca, levantei-a e a coloquei de pé, virei de costas e enfiei novamente meu caralho naquela buceta, nossa como eu estava com saudades, ela se abaixou um pouco e começou a rebolar como se estivesse no cio, vi que não iria aguentar, tirei o pau da buceta, peguei-a ainda molhada e levei para cama, coloquei-a de quatro, peguei um ky ao lado da cama e comecei a passar no cuzinho, passei na volta, enfiei um dedo e ela pediu calma, encostei o pau no cuzinho e me pediu carinho, a cabeça entrou com alguma dificuldade, ela reclamou de dor, dei-lhe um tapa na bunda e soquei com vontade naquele rabo que eu tanto amo. Enfiava todo e tirava, deixando só a cabeça, enquanto isto ela dizia que era puta, que queria meu caralho, que me amava e vi que começou a se masturbar, aumentou os gemidos, deu um grito e começou a gozar,tirei o caralho e esporrei gostoso nas costas.

Cada um foi tomar seu banho, quando nos encontramos na sala me convidou para ir dormir na casa dela, a sexta era feriado, a filha estava com o pai e poderíamos aproveitar. Claro que fui, né...


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto