Casou e acabou minha amante - Scorpion'S

Publicado por: scorpion em 11/10/2021
Categoria: Hetero
Leituras: 81 / Votos: 1 / Comentários: 0
Sai com amigos para tomar uma cerva, entramos na choperia, sentamos e fiquei de frente para uma ex namorada, uma loira alta, e seios pequenos, mas dona de uma bunda maravilhosa, pena que depois de terminarmos em seguida casou. Ela me cumprimentou no que eu respondi, pedi um chope e comecei a olhar para ela fixamente e notei que ela ficou nervosa, mexia no cabelo, cruzava e descruzava as pernas. Ficamos ali nos olhando de rabo de olho, notei que estava muito gostosa, linda mesmo, eu já não conversava direito e acho que ela também, levantou e foi em direção ao banheiro, e em seguida um garçom me entregou um guardanapo com um número de celular, perguntei de quem era, disse que só pediram para entregar. Acreditei que se tratava do seu número e enviei um sms, na época não tínhamos watts, perguntando de quem era o número, recebi sms de volta o qual perguntava se estava de carro, respondi que não. Recebi outra mensagem que se eu desejasse conversar, era só sair caminhando me pegaria, pedi uns 15 minutos, e vi que logo pagou sua comanda e saiu. Paguei minha conta e sai caminhando pela rua, passados 5 minutos vi um carro passar e parar meia quadra depois. Quando cheguei ao carro ela estava no banco do carona e pediu que eu entrasse, o que lógico que atendi prontamente. Entrei e perguntei aonde íamos, ela me disse para pararmos em um trailer para tomarmos uma cerva, conversarmos, o que eu novamente atendi, paramos no meio da Avenida Bento e pedimos uma cerva, começamos a conversar e logo o papo passou a ser sobre sexo e não demorou para que nos beijássemos no que eu aproveitei e passei a mão naquele corpo, falei no ouvido dela:
-Dava tudo para te fuder;
notei que ela estremeceu e tocou em meu caralho duro por cima da calça, desci minha boca até o pescoço e coloquei minha mão entre as suas pernas, como estava de saia pude sentir a calcinha molhada, neste momento ela me afastou, abriu minha calça e passou a segurar forte meu caralho enquanto me beijava, mandei chupar, o que sem cerimônia passou a fazer em seguida, com uma vontade que parecia querer arrancar meu caralho, passava a língua em todo e depois colocava na boca, colocava e tirava com vontade, fiz com que parasse, pois eu poderia gozar. Afastei e mandei que tirasse a calcinha, ela disse que ali não, então me aproximei, passei a mão na calcinha molhada e tirei, deixando aquela buceta desprotegida, me aproveitando disto coloquei o dedo dentro da buceta e comecei a masturbar, deixando ela louca de desejo, quando achei que ela iria gozar parei, pois eu queria mais, ela falou:
-VAMOS SAIR DAQUI!
- Claro.
    Paguei a conta e fomos para um motel, enquanto eu dirigia ela me chupava e dizia que era minha puta, que queria fuder gostoso. Entramos na garagem e quando ela ia descer, eu disse espera, calma. Puxei para mim e dei um grande beijo, tirei à blusa, sutiã, a saia e fiquei olhando ela peladinha foi quando ela abriu a porta do carro e correu para dentro do quarto, eu a peguei e a coloquei contra a parede, ela tem uma bunda maravilhosa, tirei meu pau para fora e coloquei entre as coxas mandei rebolar, que pensasse nele entrando gostoso, ela disse para eu enfiar, mas não, eu queria curtir mais, virei à de frente e mandei tirar minha roupa, o que prontamente o fez. Quando agachada tirou minha cueca e foi chupar, eu a levantei virei ela contra a parede e coloquei meu pau naquela buceta molhada, enterrando de uma só fez, o que fez com que ela desse um gritinho e começasse a rebolar gostoso, mandando enfiar, socar forte, achando que ia gozar, tirei o pau, levei-a para a cama, colocando de quatro e comecei a enfiar bem devagarinho, queria que agora ela sentisse todo o pau, cm por cm, comecei um vai e vem bem devagar, quando ela disse que ia gozar enfiei o dedo no cuzinho e sem parar de socar disse:
- Quero comer teu rabo!
Quando falei isto gozou, gemeu baixinho e deitei em cima dela e deixei curtir o gozo. Quando se recuperou, mandei que ficasse de quatro, comecei a chupar o cuzinho , cuspir, deixar ele molhado e comecei a colocar a cabeça, neste momento ela começou a mandar enfiar, rasgar, colocar tudo. Não me fiz de rogado e fui colocando a cabeça, sentindo cada centímetro, enlouqueci vendo a cena no espelho grande do motel, ai fiquei sem pena e soquei o caralho com vontade, ela gritou e começou a mexer, enquanto eu bombeava o caralho para dentro do rabo, avisei que ia gozar e ela colocou os dedos na buceta e começou a se masturbar, quando notei que iria acabar, tirei o pau e esporrei em jatos fortes na entrada do cú, nas costas. Eu estava realizado, nunca havia me dado o rabão, e agora casada havia gemido com a pica enterrada no rabão, então fomos relaxar na banheira, e viramos amantes. Quer separar, mas eu não quero, prefiro assim como minha putinha, minha cadelinha


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto