Transei no trem

Publicado por: simone em 17/01/2018
Categoria: Hetero
Leituras: 6297 / Votos: 3 / Comentários: 0
Olá, me chamo Erika, sempre achei essas histórias de encoxadas um tanto nojentas, mas tive uma encoxada que eu desejei que nunca tivesse acabado.
Não vou dar muitos detalhes, mas sou um tanto sapeca, adoro ser desejada, e me excito muito com certos olhares, para completar sempre abuso das roupas sexys mas não vulgar, detalhe amo vestido
... Mas vamos ao que interessa.
Como meu carro estava no concerto, eu tinha duas opções, uber ou trem
E sem pensar muito acabei optando pelo trem por ser mais rapido e lá fui eu.
Só que para meu desespero e arrependimento
O trem ja chegou lotado na estação e eu acabei ficando como uma sardinha em lata entre dois rapazes.
Onde um deles muito bonito e cheiroso acabou sem nenhuma vergonha se encostando em mim.
No primeiro momento, eu não gostei, mas como não tinha como sair dali, acabei tendo que me conformar com a situação.
Alem do que o cheiro dele misturado ao corpo masculo e viril, era uma tentação.
Alto, forte, ombros largos, camisa dobrada na manga, dois botoes da gola aberto, calça apertada, e sorriso encantador, alem de lindo ele estava muito bem arrumado e para piorar a situação eu estava com um leve vestido vermelho e uma minuscula calcinha também vermelha toda enfiada na bunda, sendo encoxada por aquele boy bonito e gostoso.
Onde com dois vai e vem do balanço do trem pude sentir o volume que se formou na calça dele forçar minha bunda.
No inicio me senti mal, mas confesso que com mais alguns balanços do trem eu já estava conformava e ja estava ate gostando.
E embora o local fosse inapropriado o corpo dele em contato com o meu era maravilhoso e ao mesmo tempo muito gostoso.
Admito que minha adrenalina foi a mil.
Admito que cheguei a ficar molhada.
E foi justamente nesse momento que a situação ficou estranha pois eu senti não só o pinto dele rosando na minha bunda como pude sentir também as mãos daquele rapaz, creio eu que com seus 35, 38 anos, alisando minhas pernas sem se importar com os outros usuários do trem.
Que pareciam não ver, alguns dormindo, outros mexendo no celular.
Por um instante fiquei perplexa com aquela investida, mas ele não ficou apenas alisando minhas pernas.
Ousado e safado ele me tocou na frente, e segurou firme minha buceta em sua mão.
Humm que delicia
Sem conseguir me conter, meu corpo se encaixou perfeitamente ao dele e ali no aconchego daquele corpo me deixei ficar, ate conseguir controlar meus pensamentos.
E sem saber o que fazer, fechei os olhos e contive o mais forte dos meus gemido quando por baixo do meu vestido, senti aquela mão quente alisando minha barriga e indo em direçao a minha calcinha.
Respirei profundamente e não foi surpresa pra mim eu molhar os dedos dele assim que ele colocou a mão na minha buceta.
Inevitavelmente eu estava molhada como jamais estive em toda minha vida.
Eu podia sentir o liquido escorrer em seus ded


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto