Luci Queixa chupando caralho

Publicado por: cesar em 01/03/2018
Categoria: Corno
Leituras: 4294 / Votos: 0 / Comentários: 0
Oi, gente linda, Sou Luci Queixa e hoje quero falar desse amigo que gosta de uma foda bem diferente e gostosa. Ele curte foder minha boca como se fosse meu cu ou boceta. Mas antes dessa foda ele curte fazer muitas outras coisas, para depois fazer oral assim, até gozar. Conheci esse amigo num dos encontros promovidos pela minha prima Cintia, em sua casa. Soube dos fetiches dele e adorei. Conversamos lá o dia todo e resolvi marcar com ele nesse motel, para passarmos uma manhã e eu me entregar toda, sem tabus ou limites, como uma vagabunda vadia que sou. Era um sábado e falei para meu maridinho côrno que daria uma saída até a praia, aqui mesmo em Santos. Meu corninho não curte e ficou em casa. Esse amigo foi me buscar na praia e fomos a um motel perto mesmo. Tínhamos de ser rápidos para meu corno não desconfiar. Chegando lá, ele logo pede para cheirar minha bunda. Puta merda, que gostoso um macho cheirando meu rabo e lambendo meu cuzinho. Eu estava de quatro na cama. Depois ele vem e enfia o cacete em minha buceta, de uma vez. Eu gemia de prazer, sendo fodida e me masturbando, pensando em meu corninho em casa, sem nem imaginar. Ele falou que queria meu cuzinho. Tirou a pica e foi enfiando devagar. Caralhoooo. Aquela coisa grande e roliça ia invadindo meu intestino quentinho. Adoro demais isso. Logo o macho está socando forte. Fico gemendo e gritando. A dor era enorme, mas excitava. Dava dor de barriga sentir aquilo entrando e saindo da bunda. Perto de gozar, o filho da puta tira o pau de meu cu e manda eu sentar nessa cadeira, toda abertinha. Sento-me e ele vem com a pica no meu rosto, para eu chupar. O cheiro de minha bunda e cuzinho estava forte e disse que não queria. Falei para ele gozar na minha cara. Mas o nojento safado apertou minha bochechas, abrindo minha boca e enfiou a pica entro. Porra, que cheiro e gosto horrível. Mas confesso que me excitou isso. Ele pega em minha cabeça e fica socando como se estivesse fodendo ainda minha bunda. A cabeça do pau ia até a garganta. Eu tossia e tinha náuseas, mas i filho da mão não parava, até que começa e gemer e se contorcer. Os jatos de esperma começam a sair fortes dentro de minha boca. Era muita pôrra e não dava para engolir tudo tão rápido. Mas ele segura a pica dentro e não deixa eu tirar. O esperma espirra e escorre pelos cantos de minha boca. E engoli mais esperma nesse dia que qualquer outro. Foi muito gostosa essa experiência.
Luci Queixa


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto