Sexo na Praia no Carnaval, a sobrinha viu II - Dric@ Lind@

Publicado por: dammas em 14/10/2021
Categoria: Sexo Casual
Leituras: 61 / Votos: 0 / Comentários: 0
"de onde estávamos ele não podia ver Joana, mas eu olhava a guria já com o vestido levantado e a mão dentro da minúscula calcinha, com certeza estava se masturbando vendo a titia chupar uma PIÇA GOSTOSA, parecia que eu queria ensinar tal minha dedicação em mamar, foi quando o Souza levantou, pediu que eu ficasse de quatro com as pernas no assento do sofá e apoiada no encosto, e deu uma chupada na minha buceta, lambeu meu cuzinho e começou a meter"

No outro dia acordei pelas 10, ele já estava de pé tomando um chimarrão, me ofereceu e me convidou para irmos para a praia, eu disse que sim, que iria tomar um banho, foi ai que notei que estava apenas de camisolinha curta e de calcinha, me pediu que tirasse a calcinha, e falei:

- TU TA LOUCO? TIRAR A CALCINHA AQUI NA SALA E SE CHEGA ALGUÉM?
- Só tira a calcinha e da pra mim;
- EU TIRO, MAS VOU TIRAR ALI NA COZINHA E TE ENTREGO;
- Não, eu quero te ver tirar;
peguei-o pela mão, e fomos até a cozinha, conosco de pé, comecei a tirar a calcinha, quanto fui juntar a pequena peça, e olhei agachada para ele vi que estava de pau duro e para fora da bermuda, nossa, ele puxou minha cabeça e fez-me cair literalmente de boca na pica, coloquei tudo na boca e chupei com gosto, fiz um carinho nas bolas e começou a socar com força a pica na minha boca, quase engasguei, tirei o pau da boca, e de costas, debruçada na mesa da cozinha pedi para ele meter, mas disse que eram duas socadas bem fortes e só, apontou aquela pica dura para a minha bucetinha e socou sem dó, eu estava completamente molhada pela chupada que tinha dado e aquela pica se foi até tocar em meu útero, tirou todo e socou de novo, quando comecei a rebolar ele disse:

- Tu falou que eram só duas socadas, então;
filho da mãe, mas eu não podia dizer nada, era o combinado, tirou a calcinha da minha mão e voltou para a sala, eu mais que depressa fui correndo tomar banho, pois vai que a mana acordasse e tbm minha sobrinha estava para chegar.
Entrei no banho louca de tesão, e comecei uma masturbação, mas pensei, hoje eu deixo este fdp louco de tesão. Terminei meu banho, passei meus cremes e coloquei meu menor biquíni, um amarelinho bem enterradinho, e por cima uma sainha de brim curta, regata e já peguei canga, protetor solar, mas não mostrei para ele o tamanho do meu biquíni, seria uma surpresa na praia. Pediu para que levantasse a saia, disse que não, que a mana já estava acordada e que seria uma "surpresa”, e que minha sobrinha chegaria, e chegou em seguida já querendo praia.
A praia do cassino é diferente das outras, creio que todas, pois paramos o carro e colocamos as cadeiras bem pertinho do mar, o povo faz churrasco, fazem piquenique e etc.
Pegamos o carro da mana, e fomos os quatro, Ele foi dirigindo, mas como queríamos beber, a Mana voltaria guiando, pois estava de ressaca kkk. Chegamos, descemos as cadeiras, a mana e minha sobrinha disseram que iriam caminhar na praia para ver se achava alguém conhecido, eu tirei a saía de brim, ele vidrou os olhos quando virei de costas, estendi uma esteira na areia, e me deitei de frente, pedi que passasse protetor solar em mim, ajoelhou-se ao meu lado e começou o "difícil" trabalho, passava o bronzeador até que chegou aos meus seios, e o safado enfiou a mão por baixo do biquíni e me arrepiei, fiquei com um tesão louco, peguei a mão dele e disse:

- PASSA AQUI;
e levei sua mão até a parte de baixo do biquíni, ele tocou minha buceta por cima da calcinha do biquíni, e enfiou a mão lá dentro e começou a dedilhar meu grelinho, eu já ficando louca e para provocar, me virei de costas e pedi que passasse nas minhas costas. Começou a passar, mas logo desceu para a minha bunda, sei que os homens ficam tarados pelo meu rabinho, colocou a mão pela parte interna das coxas, e enfiou o dedo na xaninha melada, eu virei o rosto para ele e vi o volume na sunga preta, e disse baixinho:

- ASSIM EU VOU GOZAR;
- Goza, quero ver tu te acabar;
e seguiu socando o dedo na minha buceta, depois de ficar melado ele enfiou no meu cú e começou a enfiar e tirar do meu cú, eu tava doida, não pensava nas pessoas que poderiam estar olhando, mas em um momento de lucidez lembrei que a Mana poderia estar voltando, pedi que parasse e convidei para ir para a água, e fomos, ele com aquele enorme volume na sunga, entramos na água, que é gelada, e quando estávamos no fundo, onde tapava nossos corpos, eu mergulhei e tirei a parte de baixo do biquíni, mostrei p ele, e veio me abraçar, começamos a nos beijar eu entrelacei as pernas em volta dele e com a mão direcionei a pica para a minha buceta, o pau entrou rasgando, mas era tudo o que eu queria, ele começou a socar, mas não queríamos chamar atenção, então era em movimentos lentos e ritmados, nossa eu já não sabia mais onde estava, avisei que ia gozar e ele disse que tbm iria se acabar, mandei que gozasse na minha buceta, que eu queria voltar para a areia cheia de PORRAAAAA, gozamos, eu vesti a parte de baixo do meu biquíni e voltamos para a areia, minha irmã e minha sobrinha haviam voltado, quando Ele foi buscar uma caipirinha para nós, minha sobrinha aproveitando que ele não estava chegou e me perguntou:

- Ele é gostoso?
- COMO ASSIM;
- Eu vi vocês transando dentro da água, acho que toda a praia viu.
Fiquei encabulada, mas como conversava muito sobre sexo eu disse:
- UM TESÃO, UM PAU QUE SABE O QUE FAZ;
- Tu me deixas ver vocês transando? Deixa eu só bater uma punheta para ele ou quem sabe chupar?
- SE TU ME DEIXAR ASSISTIR OU CHUPAR JUNTO EU DEIXO.
Quando ele voltou notei que ela não tirava os olhos do volume na sunga do gostoso, a Mana disse que voltaria com uns amigos e que a filha poderia dirigir, pois não havia bebido. Ela nos convidou para um banho de mar, mas que trocássemos de lugar o carro, que fossemos para perto do navio onde havia poucos carros e pessoas, e nós topamos, embora Ele não soubesse nada sobre nossas intenções mundanas. Minha sobrinha tem 18 aninhos, e é bem gostosa, seios firmes e uma bunda que eu acho que puxou da tia hehe.
Chegamos lá e ela tirou o short, o que não havia feito ainda, estava com um biquíni preto, conseguia ser menos que o meu, ela riu e disse:

- Não querias que eu ficasse assim na frente da mãe, né!
Notei que ele se tarou no corpo dela, mas mantinha as aparências e entramos os três na gelada água, ela para não cair pediu que ele desse a mão para ela até que passássemos a rebentação. Ficamos os três na água, e como não adiantava dizer que não havíamos transado, que eu não estava pegando ele e etc. então fiquei de costas para ele encostada, e ele me abraçando gostoso, por baixo d'água colocava a mão por dentro do meu biquíni, esfregava meu grelinho, e me bolinava, eu sentia o volume da pica na minha bunda, me deixando completamente louca, ela na nossa frente, perguntando como tínhamos nos conhecido e outras coisas mais, foi ai que ele saiu de trás de nós e mergulhou, e quando voltou a tona, ficou ao meu lado, fui para trás dele e abracei-o por trás, e comecei a fazer carinho na pica, coloquei a mão por baixo da sunga e comecei uma lenta punheta, tentando fazer com que ela não notasse, mas ai pediu que abríssemos as pernas que ela passasse por baixo, e foi mais rápida que eu, não deu tempo de tirar a mão e senti que ela deu um apertozinho na pica, pensei essa putinha quer dar pra ele mesmo ,não só punhetiar ou chupar, e logo ela voltou a tona nos colocamos de frente para ela, "havia caído a parte de cima do biquíni" e vi aqueles seios lindos e duros, com os biquinhos duros que soltei um:

- QUE LINDOS;
Ela se fez de desentendida perguntado o que era lindo, quando falei dos seios ela os cobriu como assustada e como sem tivesse sido as ondas do mar. Foi ai que a safada perguntou o que ele havia achado?

- São lindos mesmo, bem durinhos e essa marca de biquíni deixa os mais lindos ainda.
senti que era hora de irmos embora, eu estava com frio e não podia deixar os dois sozinhos na água, então pedi para ir embora, que estava ficando frio, e que estava com fome.
Saímos da água, nos secamos, pegamos o carro e fomos para o apto, chegamos e a mana não havia chegado, então a Joana foi para o banho e nós fomos ver alguma coisa para comer, achamos frios, torradinhas e cerveja, e começamos a beber, e conforme íamos comendo, nós cortávamos os frios e a cerva rolando, foi quando Joana saiu do banho e chegou na cozinha, estava com um minúsculo vestido verde, o Souza foi para o banho, e ficamos as duas na cozinha, e perguntei o que ela estava usando por baixo, levantou o vestido e estava com uma minúscula tanguinha, virou de costas e me mostrou que era mínima a tirinha que entrava na bunda, e nisso ela puxou a tia, uma bela bunda hehe e disse estar sem sutiã. Perguntei se estava de pé, que ela só masturbaria o Souza ou no máximo poderia chupar, Joana riu e disse que sim, era o que estava combinado, o Souza apareceu e perguntou o que era o "combinado", dissemos que nada, papo de tia e sobrinha e rimos juntas, mas eu sabia que ela estava era querendo fuder com ele, mas tive que ir para o banho, deixei os dois na cozinha, sentados longe e tomando uma cervejinha, entrei no banho e pensei que se demorasse muito ela ia dar para ele, então terminei o banho, deixei o chuveiro ligado, coloquei uma calcinha branca, sutiã da mesma cor e um vestido, não tão mínimo quando o da Joana, e fui espiar a cozinha, cheguei e encontrei os dois em ardentes beijos na boca, vi que ela estava com a mão na pica por cima da bermuda, e o Souza já passava a mão nas coxas bronzeadas dela, resolvi esperar para ver o que aconteceria, foi quando ela parou de beijar, levantou da cadeira, levantou o vestido até aparecer a calcinha e ficou de quatro, tirou aquele pau gostoso da bermuda e começou a chupar, nossa que vontade, já metia todo na boca, tirava, olhava para ele com cara de putinha e tocava uma punheta, e colocava na boca toda a pica e sugava, chupava a cabeça e punhetiava junto, vi que ele estava tarado por ela, pediu que tirasse o vestido, ela disse que eu poderia chegar, e que só tiraria a calcinha, se levantou e tirou a calcinha, o Souza vendo aquela buceta toda depilada caiu de boca, ficou agachado e chupou aquela bucetinha quase virgem, ou de poucas picas, virou a de costas e lambeu o buraquinho, quando me dei conta estava me masturbando, chupou o cuzinho e eu sabendo onde iria terminar resolvi ir correndo fechar o chuveiro e quando cheguei à sala comecei a tossir, quando entrei na cozinha estava apenas ela ,perguntei pelo Souza e Joana disse que estava no banheiro dos fundos, então aproveitei que estávamos sozinhas:

- VOCÊS FIZERAM ALGUMA COISA, ENQUANTO TOMEI BANHO?
Joana com vergonha me respondeu:

- Sim, nos beijamos, e comecei tocando uma punhetinha p ele e quando me dei conta estava chupando, ele pediu para eu tirar a calcinha e quando tirei, eu estava de pé, e ele se agachou e meu chupou;
- E VOCÊS GOZARAM?
- Eu gozei na boca dele, mas ele não;
- EU VI TUDO, DEIXEI O CHUVEIRO ABERTO E VIM ESPIAR VOCÊS, QUASE GOZEI VENDO VOCÊS, TU QUER NOS VER TRANSANDO?

- Eu queria mesmo é aquela pica dentro de mim.
quando terminou de falar interrompemos nosso papo, pois o Souza estava voltando do banheiro, puxei-o para mim e dei um longo e demorado beijo, que delícia sentir o gosto da goza de uma mulher na minha boca, pq já não havia tia e sobrinha, e sim duas mulheres. Joana creio que envergonhada, saiu da cozinha, eu peguei mais bebida e a tábua de frios e fomos sentar na sala. Pedi licença para ir ao banheiro e fui avisar a Joana que estava no nosso quarto que fosse espiar o que ocorreria na sala, já que ela desejava olhar nós dois transando/fudendo. Voltei sala e começamos a nos beijar sentados no amplo sofá, ele dizia que eu estava linda, cheirosa, essas coisas que os homens dizem quando querem meter na gente, e quando dei por conta ele já passava a mão nas minhas coxas, chegando a minha bucetinha melada e dedilhando com carinho meu grelo já duro, e pediu que eu tirasse o vestido, aproveitei e tirei o sutiã, e caiu de boca nos meus seios intumescidos, eu apenas de calcinha sendo chupada, recebendo mordidinhas nos mamilos, e cada segundo mais louca, foi quando a vi espiando, aquilo me deu um tesão, vendo a carinha dela cheia de tesão e desejos, pedi para o Souza sentar em uma poltrona, fiquei de quatro na frente dele, puxei a bermuda e a cueca, e cai de boca na pica bem depilada, chupei primeiro as bolinhas enquanto batia uma compassada punheta, passei a língua no períneo (o espaço entre o final do saco e o cuzinho), que todos os homens dizem que não gostam, mas quando faço enquanto chupo vejo a pica pulsar, ai comecei a passar a língua no tronco, lambia toda a extensão da piça, e depois dele pedir é que chupei a cabecinha, e comecei a mamar com gosto, de onde estávamos ele não podia ver Joana, mas eu olhava a guria já com o vestido levantado e a mão dentro da minúscula calcinha, com certeza estava se masturbando vendo a titia chupar uma PIÇA GOSTOSA, parecia que eu queria ensinar tal minha dedicação em mamar, foi quando o Souza levantou, pediu que eu ficasse de quatro com as pernas no assento do sofá e apoiada no encosto, e deu uma chupada na minha buceta, lambeu meu cuzinho e começou a meter em mim, colocou a cabecinha, que de inha não tinha nada, e socou no fundo fazendo a pica bater no meu útero, e começou a estocar com força, me arrancando gemidos e gritos, eu pedia que metesse mais, que queria mais e mais pica, que era uma puta, e eu virava a cabeça em direção a Joana, que a esta altura já tinha tirado a calcinha, e foi ai que eu completamente louca pedi que socasse no meu cú, tirou da buceta e direcionou ao cuzinho, pedi que chupasse, lambesse bem para lubrificar, e depois ele foi entrando em mim, pensei que ia primeiro colocar a cabeçorra, mas SOCOU tudo de uma vez só, eu urrei de dor, e fiz sinal para que ela viesse até nós;

- VEM PUTINHA DA TIA, VEM VER A TITIA TOMAR PICA NO CÚ;
Veio e sentou na poltrona ao lado e se masturbava vendo a titia entalada com uma pica no rabo, e o Souza metia sem parar, eu gemia gostoso, e me masturbava sempre olhando para ela, e Ele perguntava se ela já tinha tomando no rabo,

- Nunca dei meu rabinho;
se estava gostando de ver a pica entrar e sai do CÚ da titia, ela se masturbando freneticamente só balançava a cabeça em sinal de que sim, e ai como ela estava perto de nós ele colocou um dedo na xaninha da putinha, ela gemeu e ele pegou o dedo melado e colocou na boca da Joana, ela chupava como fosse pica, e então ele enfiou o dedinho no cuzinho na ninfeta, enquanto socava forte na titia, e não demorou avisou que ia gozar, pedi carinhosamente que gozasse dentro, mas ele tirou a pica e começou a gozar na minha bunda, costas, cabelo e enterrou de novo, deu uma socada e terminou de esporrear dentro do meu cú, quando terminou, tirou a pica e foi até Joana, arregaçou bem as pernas e caiu de boca naquela buceta de menina nova, chupava, mordia o grelinho e eu que não havia gozado vendo a cena me acabei em uma masturbação gostosa, logo ela avisou que iria gozar e disse para ela gozar na boca dele, e a puta se acabou em espasmos de orgasmos, lindo de se ver. Souza sentou ao meu lado, disse que iria para o banho, Joana avisou que iria para o banho na suíte da mãe dela, mas quem estava cheia de porra era eu, quem estava com o cú ardido e arrombado era eu, falei que ela esperasse nos tomarmos banho e que depois ela tomaria, concordou.
Joana bateu na porta do banheiro e falei que entrasse, eu tomando banho e ela encostada na parede perguntou se poderia me perguntar umas coisas, eu disse que sim, que fizesse as perguntas que queria.

- Posso ver teu cuzinho arrombado tia, quero ver como ficou;
Eu lógico que mostrei, ela vidrou os olhos.

- Dói dar?
- QUANDO TA ENTRANDO DOÍ UM POUCO, MAS SE O CARA SABE FAZER É TRANQUILO, E COLOCAR A CABECINHA, DEIXAR O CÚ ACOSTUMAR E DEPOIS É SÓ PRAZER, EU GOSTO QUE SOQUE COM FORÇA, GOSTO DE ESTAR EMRRABADA, TU NUNCA DEU O CÚ,NÉ?
- Não, uma vez tive vontade, mais o cara era afoito até para comer minha xaninha, vi que iria me machucar, e não deixei colocar nada, nem a pontinha;
- COM QUANTOS CARINHAS TU TRANSOU?
- Com dois apenas, e isso que sou tarada, mas como namorei por muito tempo;
- E O NAMORADO NÃO PEDIA TEU CUZINHO;
- Não, era bem pouquinho, acho que nenhum de nós sabia bem como fazer, mas com o outro eu gozava deliciosamente;
- TU ÉS TARADA?
- Me masturbo duas, três e as vzs quatro por dia;
- TU DEIXAS A TIA E O SOUZA TE ENSINAREM A FUDER GOSTOSO?
- É tudo o que eu quero.
Ela tomou banho também enquanto conversávamos e eu admirando aquele corpinho quase juvenil, seios duros, bunda grande e um rostinho lindo, era bonita mesmo minha sobrinha. Terminamos e fomos dormir, nós no mesmo quarto, pois ficaríamos juntas no quarto dela, e também se eles fossem fuder eu queria ver tudinho, já estava ficando louca com a situação. Dormimos o resto da tarde, o Souza em seu quarto e nós no da Joana.
    Levantei eram mais de 18h, e fui arrumar a cozinha, logo em seguida a mana chegou meio bêbada, normal, e disse que tomaria um banho e que iria com seu “trocinho” a um baile de carnaval, que ela, ele e uns amigos comeriam alguma coisa fora e depois para o baile de carnaval, e que esperava ficar na casa do casinho dela, e que não nos preocupássemos, perguntou pelo Souza, se eu já havia transado com ele, apenas dei um sorriso amarelo, e fomos ver como estava o Souza, dormia nu e quando entramos estava de pau bem duro,
- Nossa, que tesão, vontade de chupar, mas hoje não, vai que ele se assuste,
e foi para o banho.
    Jô e depois o Souza acordaram, fizemos um chimarrão e fomos para a sacada, conversar e olhar o movimento, nisso a Mana chegou e sentou-se conosco. Ficamos um pouco assim até que a Mana falou que iria se arrumar, Souza disse que tomaria outro banho para tirar a preguiça, quando saíram eu disse para a Joana (Jô) que depois tomasse um banho e colocasse uma calcinha bem sexy, que eu também faria o mesmo;

- VAMOS O DEIXAR BABANDO POR NÓS.
Depois que ele saiu do banho foi à vez, de Joana e quando fui tomar meu banho disse para ela ficar no banheiro comigo, sabe lá o que estes dois tarados fariam quando eu estivesse no banho.

    Todos banhados e prontos, nós com vestidos curtos, eu né, pois a Jô colocou um micro vestido, quase se via a calcinha, calcinhas socadas, e o Souza com uma bermuda, creio que imaginando que me iria fuder sem nada por baixo. A mana se aprontou e saiu toda faceira, nós fomos ver o que jantaríamos e beberíamos.


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto