Seu Flor e suas duas putinhas -Lilith

Publicado por: dammas em 26/10/2021
Categoria: Sexo Casual
Leituras: 137 / Votos: 0 / Comentários: 0
   Olá, eu sou Lilith, moro em Porto Alegre, sou advogada, e como contei no conto “O Cara me surpreendeu...dei tudo que mandou” que escrevi, contei quando conheci um carinha de uma cidade situada a 250 km de Portinho onde moro e as primeiras vezes que transamos, o fato é que por um ano nós namoramos, e fizemos muitas loucuras, como da vez que estávamos andando de carro na cidade dele e como era verão, e eu havia saído apenas de calcinha e vestido, fiquei nua e dentro da carro ele parou e nós metemos, fudemos ali na rua mesmo, claro que terminamos na garagem do apto dele pelos riscos, mas em estar nua, parada dentro de um carro na rua me levou a um tesão extremo.
   Durante nosso relacionamento eu fiquei só com ele, só dava para ele e adorava quando me dava ordens, mas um dia depois de uma troca de beijos ardentes eu caí na asneira de contar que o beijo dele era o segundo melhor, XIII….O cara queria saber o porque e qual era, o melhor, de quem era o melhor beijo e acabei contando que era de uma amiga minha, perguntou se já havíamos ficado juntas e falei que sim, que havíamos ficado algumas vezes, e falou que queria provar o beijo tão gostoso da amiga, fiquei com ciúmes e o assunto acabou morrendo, mas senti que ele não era mais o mesmo e por outros problemas como a distância entre as cidades e ou por ele optar por trabalhar em uma propriedade rural como administrador fomos nos afastando, até que acabamos por terminar, embora eu estando apaixonada quando ele vinha a Portinho eu sempre ficava com ele.
   Em uma dessas vindas dele a Porto Alegre, começo de março, fomos para o motel, e depois de transar muito ele disse que era melhor pararmos de nos ver, pois assim eu não conheceria outra pessoa, e que ele já andava saindo com uma mulher e que não queria me magoar, discutimos, falei que não queria outro homem, e falou que já que não queria homem, procurasse a minha amiga do melhor beijo, eu fiquei puta da cara, e mostrei uma foto da minha amiga, nossa o cara grudou os olhos na foto, perguntou se tinha mais, falei que tinha e mostrei o face todo dela para ele, e não sei porque acabei perguntando se ele queria ficar com ela, sem vergonha alguma disse que:

- Sim, mas que o melhor seria ficar com vocês duas.
Combinamos de eu ligar para ela e perguntar se ela toparia, e foi o que fiz logo após ele me deixar em casa e partir para o trabalho.
Guta é uma loira, quase tão alta como eu, cabelos compridos, olhos castanho claros, com 300ml de silicone, mas com uma bunda menor que a minha, me ganha nos seios e perde na bunda kkkkk. Liguei para Guta, perguntei como estava, disse que estava com saudades, também perguntei se ela estava namorando, disse que não, e falei que havia mostrado para um “amigo” meu fotos dela e que o cara ficou babando, me pediu fotos dele e mandei o face.

- Nossa, o cara é bem interessante, gostei;
- NA VERDADE É UM EX MEU, QUE TEM UM BEIJO MARAVILHOSO, MAS QUANDO EU FALEI QUE O TEU ERA MELHOR, QUIS VER FOTOS TUAS E FICOU LOUCO PRA TE CONHECER;
- Tu disse que nós duas já ficamos?
-SIM, E SE TU TOPAR, PODEMOS IR PARA A ESTÂNCIA;
-Vamos combinar, gostei da proposta ,mas me diz se ele fode gostoso?
- A MINHA MELHOR TREPADA ATÉ HOJE, ATÉ ANAL QUE TU SABES QUE NÃO CURTO, JÁ FIZ COM ELE;
- Hum, um finde todinho no campo me parece perfeito.

Desliguei o telefone, e curiosa fui para o face, e olhando pelo face dele vi eles já estavam como amigos, fiquei Puta da vida, mas tudo bem. Marcamos para o próximo final de semana nossa viagem até a propriedade rural . O combinado é que na sexta-feira trabalharíamos até umas dezessete horas e chegaríamos por lá em torno das vinte horas.

   Sexta-feira, peguei a Guta no horário combinado, dois beijinhos no rosto e um abraço e fomos em direção a fronteira, conversávamos animadamente, pois havia tempo que não nos víamos, e falávamos de trabalho e me perguntava muito como ele era, achei interessada demais para quem iria “apenas” passar um final de semana. O local foi fácil de achar, ficava apenas uns 5 km da BR 116, e quando chegamos ele já veio nos receber, nos cumprimentou e eu só observava o comportamento dos dois, sabia que o combinado era que eu deixaria os dois transarem, mas como não sentir ciúmes, afinal de contas era a minha melhor foda!

   O local muito bonito, uma casa grande com piscina e todas as instalações, inclusive onde ficam as casas dos funcionários casados, alojamentos, escritórios e depois passando por um mato de eucaliptos a mais ou menos 500 metros uma casa pequena com varanda em toda a volta, cercada por um muro, com árvores no pátio interno e nos fundos uma pequena piscina, que era onde ele morava. A casa bem simples, mas de muito bom gosto, um lavabo bem na entrada, uma sala espaçosa com lareira, sofá de três lugares, duas poltronas, mesa de centro e uma escrivaninha bem antiga e a cozinha, havia também um quarto com banheiro ao lado da cozinha, sendo que o que dividia os dois ambientes, sala e cozinha, era apenas um balcão com bancos altos. Subindo uma escada chegávamos ao mezanino onde era o quarto dele e um banheiro bem espaçoso com hidro, tudo o que ele precisava para o seu descanso e digo mais, para as putarias que deveria meter ali, por isso largou tudo e foi trabalhar lá.

   Colocamos o carro no lado da varanda que servia de garagem e começamos a descer nossas coisas, e fomos colocando tudo na sala, sentamos e perguntou o que gostaríamos de beber, falei que se tivesse uma espumante eu abriria os trabalhos, Guta pediu para tomar um banho e que depois escolheria o que beber, que queria tirar o pó da viagem. Ele subiu as coisas dela até o mezanino, e eu curiosa com o que poderia acontecer lá em cima, pois o acertado é que eu veria tudo, mas não demorou ele estava de volta. Eu o esperava na varanda, pegou uma uísque e sentou em um rede próxima a cadeira que eu estava, me levantei, sentei com ele na rede e perguntei o que ela havia achado dela, me disse que parecia ser uma pessoa legal, e que se desejássemos poderíamos nos divertir muito, nisso eu subi em cima das pernas dele e começamos a nos beijar, bahhh eu já com saudade daquela boca, e obviamente da pica, beijava e me esfregava no colo, os seus beijos já me deixam doida, e ainda sentindo o pau duro a roçar minha xaninha, mas foi aí que ouvimos uma voz vinda de dentro da casa, era Guta perguntando onde estávamos e onde colocaria a toalha, tivemos que interromper o sarro gostoso, entramos na casa e ela desceu as escadas, a safada da minha amiga estava vestindo um vestido bem curto e sem sutiã, ainda deu tempo de eu perceber que estava com uma micro calcinha. Agora era chegada a hora de eu ir tomar banho, e eu enrolando, vivendo um drama, e foi quando Guta perguntou se eu não iria tomar banho, tive que dizer que sim, e ele novamente subiu com minhas coisas, e quando desceu eu ainda gritei que eles não fizessem nada sem eu estar presente, só ouvi um:

- Pode deixar!
   Tomei meu banho muito rápido e fui me vestir no mezanino, colocando também um pequeno vestido e a menor calcinha que havia levado, e quando olho para baixo não os vejo, fico entre curiosa e puta da cara e desço as escadas sem fazer barulhos, quando chego ao último degrau da escada vejo que estão em pé, encostados na parede, ele encostado e ela de frente para ele, em um beijo muito quente que fiquei com inveja, poxa as duas melhores bocas que a minha havia tocado se tocando, se beijando lascivamente, e não sei como, mas fiquei ali vendo os beijos que a cada segundo ficam mais tórridos, e deveriam estar acontecendo a pouco, pois notei que logo em seguida ele pegou Guta pela bunda ainda por cima do tecido do vestido, e em seguida levantou o vestido até a cintura dela, e logo colocou a mão na bunda nua da Guta, coberta apenas pela pequena tira de pano que insistia em cobrir o cuzinho rosadinho, vi que estavam com muito tesão e ela começou a beijar o pescoço dele, enquanto suas mãos havidas entram por dentro da calça de moletom que ele usava e procuram a pica gostosa que eu tão bem conhecia, e logo ele já está de pau para fora e ela manipulando lentamente e dando início a uma punheta, eu procuro me colocar em um lugar melhor, porque os dois estão tão envolvidos que não notam minha presença, vejo que ela fala algo ao ouvido dele que de onde estava não consigo ouvir, e logo a puta safada se agacha e mete aquela pica na boca, lambe todo o caralho, dá um beijo com uma mordidinha e começa a chupar, mamar...a danada consegue meter quase toda a pica na boca, e ele a pega pelos cabelos e força a pica toda até ela quase engastar, ouço quando ele pede para ela tirar o vestido, ela se levanta, se afasta um pouco e desabotoa os botões que prendiam as alças do vestido e fica só de calcinhas, ele tira sua camiseta e a puxa para perto de si, e começam novamente a se beijar com volúpia, os seios lindos e duros dela roçam no peito másculo, até que a pega pelos cabelos por trás, ela pede que pegue forte, começa a beijar o pescoço e cai de boca nos seios, ela começa a gemer bem baixinho, e ele se diverte chupando hora um seio e depois o outro, chega a cuspir e lamber, e noto que o safado procura a bucetinha dela por cima da calcinha, apalpa e pede que ela tire a calcinha, e ela diz para que ele ajude, então se abaixa e fica com o rosto na altura do monte de vénus dela, e puxa com as duas mãos a micro calcinha para baixo, a qual só tapava mesmo a xaninha e atrás o cuzinho, quando a calcinha caiu no chão ele sem pensar enfiou a língua úmida na bucetinha lisinha, sem pelos, da Guta, segurava a cabeça dele e pedia mais e mais, pedia mais fundo, até que achou o grelinho dela e ali se deliciou chupando, e ela gemendo muito, até que se levantou, se beijaram na boca ardentemente e sentiu seu próprio gostinho(Às vezes em que eu e Guta ficamos ela sempre queria beijo depois de chupar), e vi que ali perderam o controle que tinham sobre o tempo, e acho que nem lembravam mais de mim, e ela se abaixou e começou a esfregar a piça nos seios, fazia uma espanhola naqueles grandes, duros e lindos seios que eu tão bem conhecia, e foi quando ele me viu atrás da bancada que separa a sala da cozinha, fez sinal para que eu ficasse em silêncio, e ela continuou punhetando a piça com os seios, antes que gozasse ele mandou ela levantar e levou ela até uma escrivaninha antiga que havia a poucos passos dali, sentou-a na escrivaninha, abriu bem as pernas dela e apontou aquele CARALHO GOSTOSO para a BUCETA da safada da Guta e vi entrar tudo...tudo de uma só vez, ela gritou, gemeu e mandou socar com força, ele iniciou um vai e vem com aquele pau bem rápido, eu ouvia o barulho da piça socando, castigando a bucetinha úmida da Guta, e depois acalmou, começou a meter e tirar bem devagarinho, eu não tive outra maneira de ficar assistindo aquilo que não fosse me masturbar, apoiada na bancada eu levantei meu vestido, coloquei a calcinha para o lado e iniciei a me tocar, massagear meu grelão com vontade e força, e quando diminuíam o ritmo eu também me acalmava, pois não queria chegar ao clímax antes deles, e foi quando aquele mastro saiu de dentro dela, ele a tirou de cima da escrivaninha, fez com que se apoiasse e mandou abrir bem a bunda, ela fez o que ele pediu, apoiou o tronco na escrivaninha e com as mãos abriu aquela bunda, ele se agachou e começou a lamber o cuzinho rosado da Guta, nossa que tesão eu estava, imaginava o dela, e enfiou a pontinha da língua quando o rabinho se abriu, e logo depois ele meteu a pica na bucetinha, enfiou tudo, deu um tapa na bunda e mandou ela rebolar. Guta rebolava com toda aquela pica na bucetinha até disse que ia acabar se continuasse assim, e então ele pede que ela goze e nisso enfia um dedo no cú dela, que nem reclama, e quando ela começa a tremer, sente que ela vai gozar e começa a socar o caralho com força e enfiar cada vem mais rápido o dedo no cú até que ela goza gostoso, geme e grita que quer porra na xana:

- Mete, soca este pau gostoso meu homem, e derrama tua porra dentro da minha bucetinha,
e ele se acaba, goza um pouco dentro e tira o caralho e goza na entradinha do cú da vadia e me olha, fica me encarando e eu mostro para ele que estou com o grelão duro e gozo...gozo em silêncio, ele fica com o pau dentro e eu aproveito para subir as escadas, e grito de lá de cima:

- GORDO, SOBE AQUI,
Quando o Gordo, apelido de família, subiu eu estava deitada na cama, perguntou se eu havia gostado…
-O COMBINADO É QUE EU VERIA TUDO;
- Não deu, tu tava demorando muito e ela veio pra cima, mas tu viu que só fudemos quando eu te vi olhando,
-TÁ BEM,EU ADOREI VER VOCÊS,SENTI UM POUCO DE CIÚMES,MAS GOSTEI MAIS AINDA POR ELA   NÃO SABER QUE EU ESTAVA ALI, E ME MASTURBEI GOSTOSO ATÉ QUE GOZEI JUNTO COM VOCÊS,
eu deitada abri as pernas, levantei meu vestido e pedi que chupasse meu grelinho que estava todo duro e a buceta molhada pelo meu suquinho do gozo na masturbação. Ele se ajoelhou na beira da cama, me puxou para ficar mais perto, tirou minha calcinha e começou a chupar, lambeu meu grelão durão, o que me enlouqueceu e depois foi lambendo meus lábios vaginais até enfiar a língua dentro da minha xaninha, eu de olhos fechados curtia aquela chupada e louca pra ter aquela pica dentro de mim, e foi quando abri os olhos e Guta estava nos olhando encostada na parede com o vestido levantado e se masturbando, eu pisquei o olho para ela que ficou em silêncio, e com a presença dela meu gozo veio em seguida, GOZEIIII….. e me acabei na boca do Gordo, Guta desceu antes que ele o visse, ele se levantou e eu me sentei na cama, nossa a piça estava dura, e quando foi descer eu fiquei de quatro na cama e pedi:

-ME FODE???
ele chegou na beira da cama, lambeu minha xaninha e meu cuzinho e apontou aquele caralhão tesudo e me invadiu socando tudo, até eu sentir as bolas batendo em mim, e quando fui rebolar, ele me disse que era a vez dele gozar e começou a bombar forte dentro da minha buceta, eu ouvia aquele barulho da piça socando dentro da buceta molhada, até que depois de uns 5 minutos ele me disse que ia gozar, pedi dentro a porra, e senti jatos de porra me invadindo a xana e não resisti e gozei gostoso, ele caiu por cima de mim, e me disse:

-Este finde vou FUDER teu cú,
eu não curto anal, fazia com ele porque sei que gosta e por não ser bruto eu acabava curtindo, e logo depois ele desceu, eu desci depois sem calcinha.
   Resolvemos que iríamos fazer pizzas, família da Guta tem uma pizzaria, enquanto preparávamos as pizzas o Gordo resolveu cortar um salame, queijos para aperetivarmos. Eu escolhi tomar uma espumante, Guta também e ele seguiria no uísque. Decidimos que assaríamos as pizzas mais tarde, e fomos para a sala beber e conversar. Acabamos colocando um som e logo eu e Guta tiramos a mesa de centro e começamos a dançar, sensualizar e logo estávamos dançando bem próximas e ele se levantou, convidamos para dançar, mas ele apenas nos aproximou e empurrou nossas cabeças para nos beijarmos, nossa eu tava com saudades da boca da Guta e não me fiz de rogada cai literalmente de boca na boca gostosa e carnuda da Guta e nos beijávamos com gosto, logo ela começou a passar a mão na minha bunda e beijando com gosto e vontade até que ela colocou a mão na minha xaninha, e foi direto massagear meu grelão, o Gordo que assistia a tudo chegou por trás dela, desabotoou as alças do vestido e ela ficou só de calcinha, se abaixou por trás dela e tirou calcinha e vi que lambeu o cuzinho rosado dela, se levantou e veio para trás de mim, tirou meu vestido e como eu estava já sem calcinha lambeu meu rabo enfiando a língua lá dentro, eu já estava afim de gozar, pois com uma lambida no cú e uma massagem no meu grelão era tudo de bom, mas Guta pediu para eu deitar no chão, o Gordo quando ouviu colocou as três almofadas do sofá no chão e eu deitei, Guta já veio de forma invertida, nos beijamos assim e logo ela começou a chupar meus seios eu chupei aqueles melões lindos e duros e ela logo..logo veio chupar minha buceta e já voltou para o meu grelo, pedi que colocasse a língua dentro e eu iniciei a chupar mostrando como eu queria, e enfiamos uma a língua na xana da outra, e o Gordo que assistia tudo veio e começou a me chupar junto com ela, às vezes se beijavam e ouvi quando ele falou que ia meter na minha, buceta, e enfiou aquela tora, enfiava, socava e tirava, quando tirava a guta lambia e enfiava a pica na boca, chupava ele e o Gordo metia de novo e quando isso acontecia ela se dedicava ao meu grelão, até que ele tirou de mim e veio para a buceta da Guta, enfiou nela, tirou e chupei a pica gostosa, e ele MANDOU eu chupar o cú da Guta, lambi aquele rabo rosadinho até que ele apontou o caralho para o cú dela, enfiou a ponta, a cabeça do pau e ela gritou, mandou parar e eu abri a bunda dela e ele enfiou mais que a metade,

- Para...para
dizia a Guta, mas deu um tapa na bunda dela e vi deliciosamente aquele caralho que eu tanto conhecia e amava sumir no cú da Guta, e gritando que tava doendo ela começou a rebolar e eu aproveitei para chupar o saco, ele mandou ela parar de rebolar e começou a socar … socar e ela já mandava meter até que disse que ia gozar no cú dela, ela aumentou as chupadas no meu grelão e eu disse que também ia me acabar, e ele socou no fundo do cú dela e ficou segurando, tive certeza que ele estava inundando o cú dela de porra e alto, gritei que estava gozando e me acabei, e antes dele tirar eu aumentei as chupadas na buceta da Guta para ela gozar com a pica ainda no cuzinho ,e a amiga se acabou gostoso, depois ele tirou o caralho do cú dela e sai de cima, me deu um beijo gostoso, beijou ela e disse que iria tomar um banho, nos falou se desejássemos tomar um banho tinha toalhas no banheiro de baixo e subiu para o mezanino, ela saiu de cima de mim e me deu um gostoso beijo na boca e foi para o banheiro, eu fiquei ali inerte, até que arrumei as almofadas no sofá, deitei e fiquei curtindo, lembrando da foda gostosa que havíamos acabado de dar, e acabei dormindo. Acordei e vi que estava nua, porém tapada com uma manta e sentindo o Cheirinho de pizza , e já acordei perguntando:

-ONDE VOCÊS ESTÃO????
Não me responderam, me vesti e saí a procurar. Saí na porta da cozinha e vi os dois na churrasqueira que ficava ao lado da casa, estavam fudendo, Guta estava nua de 4, ou melhor, tinha os braços apoiados na mesa e os joelhos no banco de madeira e o Gordo fudendo a bucetinha dela, que gemia alto, não precisava perguntar se ela estava gostando, só ver os olhos fechados, a língua circulando por fora da boca e ouvir os gemidos e os pedidos de:

-Mete, mete meu gostoso, mete na tua puta, arregaça a minha bucetinha,
eu resolvi ficar vendo, embora estivesse com ciúmes não iria cortar o barato deles ,afinal nós viemos foi para fuder mesmo. Ele socava a pica sem dó, enfiava tudo e tirava e olhava a buceta já arregaçada, afinal ele tinha um belo caralho, grande e grosso, e logo colocava de novo e ela rebolava com “aquilo tudo enterrado”, até que ele falou que queria o cú dela,

- Mete gostoso no meu rabinho, já tá todo esfolado mesmo,
ele tirou aquele mastro da bucetinha dela e apontou o caralho para o cú e foi entrando, ela engolindo aquele pauzão todo, com facilidade até que entrou tudo, ela começou a rebolar e colocou um dedo na xaninha e ele não aguentou as reboladas, quando ela disse que ia gozar, pediu pra ela parar de rebolar e começou a bombar forte naquele rabo, nossa parece que rebentava as preguinhas que faltavam, e assim logo ela disse que iria “SE ACABAR” e ele soltou jatos de porra dentro do cú dela gozando gostoso porque chegou a fechar os olhos, quando tirou o pau de dentro, ela ficou de pé com as pernas trêmulas e se pegaram em um beijo delicioso ,eu vi que logo entrariam em casa e fui para o banheiro do lado tomar um banho porque eu estava toda melada, de ver a cena meu suquinho da buceta escorria pelas pernas.
   Voltei a sala/cozinha e encontro os dois tomando um vinho tinto, e rindo e cheios de carinhos. Quando me viram disseram que só estavam me esperando para comer as pizzas, e que estavam assando outra porque a primeira tinha queimado. Comemos e bebemos e depois fomos para a varanda, terminar o vinho, depois de uns 30 minutos o Gordo disse que precisava dormir, pois tinha que trabalhar no sábado pela manhã, perguntou se queríamos dormir com ele, Guta disse que precisávamos lavar os pratos e foi para a cozinha, o Gordo subiu e fui atrás, falei que já voltava para ajudar. Encontrei o Gordo saindo da banho, peladinho, e perguntei se estava gostando de ter nó duas a disposição,

- Vocês são um tesão, quero casar com as duas hehe,
e me abracei nele, o pau levantou na hora, deve ter tomado algum “azulzinho, porque estava sempre pronto e pedi para mamar a pica, mandou eu ficar de quatro na cama com o meu rabão virado para o espelho e com ele de pé chupei a piça, eu queria leite e mamava o caralho e batia uma punhetinha, eu já estava com dois dedinhos massageando meu grelão, até que ele disse que ia acabar, pedi para que gozasse na minha boca e quando GOZOU eu GOZEI juntinho, tomei todo aquele leitinho, adoro tomar porra e falei que ia deixar ele deitar, que viria depois de ajudar a Guta. Cheguei na cozinha e ela perguntou porque eu havia demorado, peguei e dei um puta beijo nela,

-Safa da, tava tomando a “nossa’ porra.
Terminamos a louça e fomos deitar uma de cada lado do nosso macho, pois afinal era o primeiro dia do nosso finde.


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto