Sexo na Praia no Carnaval, Nós e a minha sobrinha III - Dric@ Lind@

Publicado por: dammas em 14/10/2021
Categoria: Sexo Casual
Leituras: 299 / Votos: 1 / Comentários: 1
"e a bebida subindo a temperatura, Ela disse que iria ao banheiro, e quando saiu da sala começamos a nos beijar, quando voltou a sala o Souza já estava com as mãos nas minha coxas e eu com o vestido levantado até a cintura, e Ele tocando minha bucetinha por cima da calcinha, Jô passou por nós e sentou no sofá, tomou um gole de tequila e ficou a nos observar, vi quando ele a fitou nos olhos, e foi enfiando a mão dentro da minha calcinha que já estava toda molhada, eu fui deitando no chão, até que o Souza pegou um travesseiro e colocou embaixo da minha bunda, e comigo deitadinha "


    Todos prontos, nós com vestidos curtos, eu né, pois a Jô colocou um micro vestido, quase se via a calcinha, calcinhas socadas, e o Souza com uma bermuda, creio que com a certeza que iria fuder sem nada por baixo. A mana se aprontou e saiu toda faceira, nós fomos ver o que jantaríamos e beberíamos.
    Eu e o Souza resolvemos tomar Whisky, fico bem puta quando bebo este destilado, Jô disse que tomaria tequila e cerveja, pensei comigo mesma:

(- ISSO NÃO VAI DAR BOA COISA)
pegamos um balde de gelo, um John Black, e alguns aperitivos, pensaríamos no que comer mais tarde. Quando chegamos à sala, a Jô estava deitada no sofá, com aquele micro vestido deixando aparecer um pouco da calcinha, se eu fiquei com tesão vendo-a assim, imagina o tarado do Souza, como estava deitada na frente da TV, no sofá, nos restavam as duas poltronas, foi quando tive a ideia de ir até o quarto dos fundos e peguei um colchão, arredei a mesa de centro e coloquei ao lado do sofá, como iríamos ver as “escolas de samba” ficaríamos melhor acomodados, fui até nossos quartos e trouxe todos os travesseiros que encontrei, e começamos a beber escorados eu e Ele nas poltronas e sentados no colchão, e começamos a ver os desfiles. Jô sentou no sofá, tornava se quase impossível ver os desfiles com ela deitada no sofá, e fomos bebendo, aperitivando alguma coisinha e a bebida subindo a temperatura, Ela disse que iria ao banheiro, e quando saiu da sala começamos a nos beijar, quando voltou a sala o Souza já estava com as mãos nas minhas coxas e eu com o vestido levantado até a cintura, e Ele tocando minha bucetinha por cima da calcinha, Jô passou por nós e sentou no sofá, tomou um gole de tequila e ficou a nos observar, vi quando ele a fitou nos olhos, e foi enfiando a mão dentro da minha calcinha que já estava toda molhada, eu fui deitando no chão, no colchão até que o Souza pegou um travesseiro e colocou embaixo da minha bunda, e comigo deitadinha foi me chupando, primeiro por cima da calcinha melada, lambeu dos dois ladinhos, minhas coxas, e colocou calcinha de lado e enfiou a língua na minha bucetinha, parecia um bezerrinho faminto chupando minha xota e meu grelinho, nossa estava uma delícia, Joana não tirava os olhos da chupada que eu recebia, e eu a chamei para que deitasse ao meu lado só que com a cabeça para as minhas pernas para que ela pudesse apreciar melhor a chupada que a titia estava recebendo, mais que ligeiro a putinha tirou o micro vestido e deitou só de calcinhas, olhava fixamente aquela boca ávida a chupar minha xaninha gulosa, a morder meu grelinho e de tanto que chegou perto o Souza parou de chupar e a beijou na boca, ela sentiu o gosto da xaninha da titia no beijo, eu aproveitei e enfiei um dedinho na bucetinha dela, estava toda molhada e comecei a bolinar aquele grelinho, eu juro que me deu uma vontade de chupar, mas o Souza já estava mamando os seios lindos dela, ela gemia baixinho e eu só queria que ele me fizesse gozar antes de fuder com ela, pedi pica na xaninha, e disse:

- FODE A TITIA QUE DEIXO TU FUDER A NINFETA TODINHA;
mais que depressa ele me enfiou a pica grossa, fazendo que eu urrasse de tesão, e gritasse para ele socar mais e mais, Jô ao meu lado se masturbava nervosa, eu sentia o cheiro da bucetinha próxima ao meu rosto, e o cuzinho piscando perto de mim que não tive dúvidas, puxei-a para mais perto e enfiei a língua naquela xaninha apertadinha, agora eu queria gozar e sentir o gozo na minha sobrinha na minha boca, e comecei a avisar que iria me acabar, que eu iria gozar e queria eles gozando comigo, o Souza foi o primeiro a me encher de porra, logo em seguida que senti aquela porra dentro de mim gozei também e Jô veio depois...gozando e gritando como uma gata no cio, uma verdadeira puta e senti o gozo dela na minha boca, chamei o Souza e nos beijamos com o gozo da sobrinha na minha boca, paramos os três sentados no colchão, começamos a beber e conversar, pedi desculpas por ter chupado a sobrinha, me disse que havia sido delicioso, mas que queria pica, eu disse que se o Souza desejasse ela seria toda dele. Souza falou que queria tomar um banho para se refrescar e que na volta queria aquela buceta, mas com uma condição, a de gozar dentro, Jô tbm foi tomar um banho e falei que iria logo após.
    Jô saiu do banho só de calcinha e camisetinha, eu fui para o banho e quando volto, só de camisetinha também, e entro na sala e a vejo chupando a pica do Souza com ele sentado em uma poltrona, a puta tava de 4 em cima do colchão chupando a pica do meu gato, fui até ele e dei um beijo na boca, e avisei aos dois:

- AGORA É A TITIA QUE MANDA!
Fiz ele deitar e mandei que ela ficasse de pé em cima dele, mandei que tirasse a calcinha rebolando gostoso, e ela foi tirando lentamente a tanguinha, até que ficou peladinha, e aí mandei que fosse abaixando até a pica tocar na bucetinha, quando a cabeça tocou na buceta eu abri bem a xaninha dela, e pedi que ela deixasse entrar só a cabecinha, e quando entrou mandei ela rebolar gostoso agachada só na pontinha no caralho, na cabeça

- Tia, não vou resistir;
- ENTÃO SENTA DEVAGARINHO E DEIXA A PIÇA ENTRAR TODA.
Foi sentando e engolindo aquele caralho duro e lustroso, até entrou tudo, mandei que rebolasse bem gostoso, que aproveitasse a pica grossa do MEU GATO, gemia gostoso, dizia que era puta, gritava gostoso, e ficou assim um tempinho, até que ela disse que iria acabar, mandei gozar na pica, mas que ele não podia gozar, ela gozou gemendo deliciosamente, e começou a beijar ele na boca, fiquei com ciúmes, mas pq não dividir com a sobrinha? ensinar como se faz? mas aí o Souza colocou ela de 4 no chão apoiada no assento do sofá e disse que agora ele ia meter com força, deixar a xana toda ardida e esfolada, e começou a meter, socando tudo e tirando, cada vez que ele socava ela urrava e gritava para socar tudo, eu já me masturbava gostoso, e mandava tbm para ele socar a pica com vontade, meteu o dedo no cú dela e perguntou quantas vezes ela havia dado o cuzinho, ela falou que nunca, foi quando tirou da buceta e disse que iria rebentar o cabaço do cú, ela pediu para ir devagar, ele só disse que sabia fuder um cú. Chupou o cuzinho, pediu um pote de margarina, busquei, lambuzou bem o rabinho, e enfiou a cabeça da pica, ela gritou:

- Para, que ta doendo.
deixou ela se acostumar, deu um tapão na bunda e quando ela começou a rebolar foi o sinal para meter o resto do caralho, e sem dó ele enfiou tudo, até ficarem só as bolas de fora, nossa que enrrabada e quando ela urrou, e gritou mandando socar eu fui eu que me acabei na masturbação, ele agora tirava toda a pica, me mostrava o rabinho dela todo arregaçado e metia, socava duas ou três vezes e tirava de novo para me mostrar, comecei a masturbar a taradinha da Jô , e assim avisou que iria gozar, foi quando eu pedi que gozasse com a pica no cú, e começou a tremer, gemer, dizia que era bom dar o CÚ, que amava aquela pica, MAS QUE TANTO, e Souza avisou que ia encher o cú dela de porra, e gozou, tirou a pica de dentro e gozou na bunda, enfiou e socou forte deixando um restinho de porra lá dentro, tirou a pica e mostrou o estrago, vi aquela porra escorrendo do cú e não tive dúvidas: chupei, chupei o cuzinho com aquela porra toda escorrendo. Souza disse que iria ao banho, e nós duas também fomos, tomei banho primeiro e com ele já na sala e de banho tomado pedi pica, fiquei de 4 na poltrona e veio meter na minha bucetinha, comecei a mexer e ele a socar até que avisei que ia acabar, e gozei, ele ficou socando até que pediu para acabar na minha boca e como eu adoro porra, leitinho de pica, chupei e logo senti que a porra vinha, tomei tudinho, não deixei nenhuma gota. Jô chegou à sala e eu disse que dormíssemos os três na suíte já que a Mana não voltaria, Joana disse que se desse uma volta na chave da porta do apto a mana não conseguiria entrar, e adormecemos os três, lógico que dormi no meio, mas quando acordo para ir ao banheiro eles não estavam, e chego à sala e vejo a Jô deitada na mesa de jantar de barriga pra cima sendo enrrabada gostoso, dizia que amava aquela pica, que queria porra no cú de novo, fiquei observando aquela meteção toda, e a safada disse que ia gozar pelo cú, sem se tocar? e pior que a guria acabou mesmo pelo cuzinho, nossa eu só tinha conseguido uma vez e ela já na segunda vez que dava o cú se acaba, o Souza então tirou a pica e gozou na bundinha dela, melou ela bem e como não haviam me visto fui até o banheiro, me masturbei e deitei, logo os dois vieram pé por pé se deitar para não me acordar.


Comentários

gentilgaucho em : 21/06/2022

Puta q pariu, mto bom… fiquei de pau duro