Meu primeiro namorado, depois de anos Fodemos gostoso - Mulher Gato

Publicado por: dammas em 08/11/2021
Categoria: Traição
Leituras: 359 / Votos: 1 / Comentários: 1
O fato que vou relatar aconteceu há uns 10 anos atrás e na época eu ainda estava casada com meu primeiro marido, tenho 1,75, seios pequenos, desde menina sempre tive uma bunda que chamava muito a atenção, e os meus cabelos são castanhos com mechas claras, sei que ainda hoje chamo atenção por onde passo.
Eu estava casada, tinha uma filha na época com 6 anos e meu marido era Produtor Rural em uma cidade/região a a mais de 200 km de Pelotas, no começo eu ia ou ele vinha todos os finais de semana, inclusive passávamos as férias neste município, eu trabalhava bastante em um laboratório e dava aulas para um curso técnico e não satisfeita com o que estava fazendo resolvi voltar a estudar, passei para fazer um mestrado na Universidade, e como eu recebia uma boa bolsa resolvi me dedicar exclusivamente ao mestrado.
Muito bom voltar ao ambiente estudantil, voltar ao campus, novas amizades, rever antigas e comecei a sair com as minhas colegas para alguns Happy hour, algumas bem mais novas que eu, nessa época eu estava com 35 anos, e foi quando recebi um convite para o ORKUT, achei muito legal e comecei a add pessoas até um dia em uma quinta-feira vi no Orkut um ex-namorado, aliás, primo do meu marido, e solicitei para que fosse meu amigo, (nós namoramos quando ainda éramos muito jovens (16/15 anos) e na época não transamos, mas foi o cara do primeiro beijo de língua, primeiro pau que peguei, a primeira punheta que bati, a primeira porra que vi, o primeiro pau que chupei, foi o primeiro que me viu peladinha, que colocou a mão na minha xaninha, que me chupou e me fez gozar, mas não transamos, aliás fui transar muito tempo depois, e recebi um recado se eu tinha Messenger, eu não tinha, mas descobri logo e baixei no PC.
- OI, TUDO BEM CONTIGO, LEGAL TE REENCONTRAR DEPOIS DE TANTOS ANOS;
- E pq depois de tantos e tantos anos resolveu falar comigo, se nem me cumprimenta quando passamos um pelo outro.
Este foi nossa primeira troca de palavras depois de tantos anos, vi que havia mágoa pelo menos da parte dele, e eu me lembrando do jovem alto, de dentes brancos e que jogava handebol na equipe da escola. Eu tinha lembranças maravilhosas com ele, mas parece que ele não, e voltamos a conversar, eu dizendo que o tempo havia passado, que eu era imatura, e que por ter namorado o primo depois dele (o meu marido foi o cara com quem namorei depois dele, depois tive muitos relacionamentos até voltar e me casar), e eu não sei pq tentando contemporizar, não sei pq aquela amizade era importante pra mim.
Um dia eu estava deixando minha filha da escolinha e passo na padaria da esquina para comprar um lanche para ela, e quando vou pagar olho para a pessoa a minha frente era ele, eu dei um oi, ele se virou e falei que legal te encontrar, apresentei minha filha, ele foi bem legal com ela, e logo nos despedimos. Ainda estava mais bonito pessoalmente, mais velho lógico, mas havia virado um tesão de homem, e ainda pensei:- Perdi de transar com esse cara; lembrei de várias vezes que o encontrei em festas e que eu poderia ter ficado com ele e não fiquei, ou eu já estava com alguém ou ele com outra guria.
Quando cheguei a casa no final do dia entrei no MSN e ficamos conversando, me disse que morava a meia quadra da padaria, e que havia achado minha filha parecida comigo e perguntei se não poderia passar na casa dele para darmos uma volta de carro, me disse que sim, falei que ia tomar um banho e que deixaria minha filha na mãe e passaria só para darmos uma volta. Entrei no chuveiro, eu estava excitada com a oportunidade de vê-lo, desde que casara nunca havia traído meu marido, e não ia trair mesmo, mas pensando naquele macho de sorriso claro e voz grossa me masturbei gostoso, hábito que havia adquirido desde que casei e meu marido passava até 15 dias sem vir em casa quando estavam plantando ou colhendo, e gozei gostoso imaginando aquelas mãos grandes me tocando, imaginando...mil coisas hehe. Deixei a filha na minha mãe e avisei que estava passando lá na frente. Na época eu tinha um carro preto com os vidros bem escuros, e logo ele desceu, entrou no carro, me deu dois beijinhos e senti o aroma gostoso do perfume e nervosa coloquei o carro em movimento e ele virou para mim e foi todo tempo me olhando fixamente sentado no banco do carona, conversamos sobre tudo, falei do meu mestrado, e outras coisas, acho que rodei uns 40 minutos e ele sempre me olhando, minhas pernas tremiam, minha xaninha úmida e acabei voltando até a casa dele e falei que precisava buscar minha filha,
- Não vamos parar e conversar?
- PRECISO BUSCAR MINHA FILHA, CONVERSAMOS OUTRO DIA, PODE SER?
ele saiu do carro, com a certeza de não entender nada, tirei o homem de casa, e não parei o carro para conversarmos. Peguei minha filha, fomos para casa, coloquei para dormir e entrei no MSN, onde havia uma mensagem dele dizendo não ter entendido nada, eu disse que fiquei nervosa com a presença dele e acabei não tendo coragem de conversar, me disse que estava com sono e que iria dormir, bah ficou chateado comigo e dava razão para ele, e também fui deitar, e fiquei pensando nele, no perfume, na roupa, na barba por fazer e acabei colocando um dedinho, depois outro e molhada como estava gozei rapidinho imaginando aquele homem literalmente me atacando.
No outro dia fui para a Universidade pela manhã, à tarde deixei minha filha na escola, dei a volta no quarteirão e parei o carro próximo ao apartamento, queria ver se o encontrava, se ele descia, se saia de casa e nada, até que mandei uma mensagem de texto dizendo que queria vê-lo, me disse que estava em casa, e perguntou se eu não queria subir, sai de onde estava estacionada, dobrei a esquina e parei o carro entre a padaria e a escolinha, e respondi:
- EU SUBO, MAS COMO VAMOS FAZER;
- Moro no último andar, o prédio tem alarme, o nº é xxxx, eu fico te olhando da janela, abro o portão com o controle remoto, abro a porta, tu desliga o alarme e sobe;
- FICA ME CUIDANDO DA JANELA PQ EU ESTOU NA PADARIA;
minhas pernas tremiam, me sentia uma adolescente, mas se recuasse agora com certeza não teria uma nova oportunidade, entrei na padaria pedi uma água e fui caminhando até que o avistei na janela, quando cheguei na frente do prédio o portão já estava abrindo, apertei o interfone, a porta abriu, desliguei o alarme e subi, a cada andar que eu subia tinha vontade de voltar, pensava na loucura que estava para fazer, ora na verdade eu apenas estava indo a casa de um amigo para conversar. Cheguei, bati na porta e logo ele abriu, estava só de bermudas, e não tive como notar que aos 36 anos ele estava “bem em forma”, me convidou para entrar, eu estava de vestido na altura dos joelhos, de uma malha bem fininha pq fazia muito...muito calor mesmo, me convidou pra entrar, e sentei no sofá que havia na sala, pediu desculpas por estar quente, e que só tinha ar condicionado no quarto onde ele estava até eu chegar, e ficamos ali conversando, falei sobre meu mestrado, e que ele deveria voltar a estudar, eu demonstrava um certo nervosismo, sentia que não estava no meu normal e também não a vontade com aquele homem, e pedi para ir ao banheiro, passei pelo quarto que estava bem fresquinho, quando baixei minha calcinha eu notei que eu estava completamente molhada, me vesti e fui para a sala. Perguntou-me se eu não preferia ir até o quarto devido ao calor, e topei, ele se deitou na cama, ligou um som e fiquei sentada na cama, veio a minha memória tudo o que fazíamos quando adolescentes na cama do pai dele, e ouvi ele me dizer que poderia deitar, ficar a vontade que não mordia, então fui até a sala trouxe um trabalho e pedi que lesse e me desse sua opinião, começou a ler e deitei ao seu lado virada para ele que estava de barriga para cima lendo, vou confessar a seriedade e o respeito com que lia meu trabalho foi me dando um tesão, um tesão que nossa. terminou de ler, ficou deitado de lado pra mim, eu consegui sentir seu cheiro, seu hálito e sua respiração, falou que eu tinha talento, que estava muito bom e acabei tocando seus lábios, ele suavemente começou a me beijar, sentia aquela boca novamente depois de quase 20 anos, e eu queria mais, os beijos ficaram intensos e senti a mão dele acarinhar meu rosto, meus cabelos, parecia não ter pressa de nada, parecia que queria me enlouquecer, que queria que eu o desejasse mais que ele a mim e estava conseguindo até que senti a mão nas minhas pernas, por cima do vestido, abaixei a cabeça e me beijou o pescoço, pude olhar o volume embaixo da bermuda, ele estava de pau duro, tive vontade de pegar, mas não, e voltei a beijar, até que parei e disse que não era certo o que estávamos fazendo, que eu era casada , e me empurrou me fazendo com que eu ficasse de barriga para cima e ao meu lado, voltou a beijos a cada minuto mais calientes, eu sai daquela posição e fiquei virada para ele, e eu respondia com tesão aos beijos, parecia não ser dona de mim, ainda mais quando ele beijava meus pescoço e eu via o volume do pau por baixo da bermuda, e foi se atrevendo mais, vendo que não havia resistência e que eu gemia baixinho quando ele beijava meu pescoço e senti a mão atrevidamente tocar minhas coxas por baixo do vestido, e agora eu que beijava seu pescoço, sentia que aquela mão ia chegar...ia chegar até a minha xaninha, e tomada de tesão abri a bermuda dele, peguei no pau e me impressionou não o tamanho, mas a grossura daquela pica, e passei a mão na glande que tava toda úmida, e neste momento senti a sua mão chegar até minha calcinha úmida, eu fiquei tarada de sentir a mão de outro homem depois de anos próxima a minha xaninha, e quando ele colocou a mão por dentro da calcinha e enfiou um dedo dentro eu aproximei minha cabeça da pica, não resisti e chupei, cai de boca no caralho, nossa como era grosso, e eu lambi a cabeça, lambia todo o pau e enfiava na boca, ficou de barriga para cima, me ajoelhei na cama e continuei a mamar, até que ele colocou a mão novamente no meio das minhas pernas, puxou a calcinha e achou meu grelinho duro, começou a massagear a minha bucetinha, e eu chupava despudoradamente, até que ele disse que assim ia acabar, eu continuava mamando até que senti um jato de porra na boca, e tirei começando a punhetear ele, e aumentou as dedadas na minha bucetinha e não sei o que me deu que sai correndo da cama em direção a porta, peguei meu sapato que estava na sala e quando tentava destrancar a porta ele veio por trás e me pegou, levantou meu vestido que já estava todo esporrado, colocou a mão dentro da calcinha e socou os dedos na minha buceta, eu estava enlouquecida, precisava sair dali ainda mais quando senti a pica crescer na minha bunda, mas com os dedos dele me masturbando eu vi que iria gozar e gozei...gozei...muito, me acabei, me virei de frente para ele, dei um baita beijo e abri a porta descendo em seguida pelas escadas, fui até meu carro e aí foi que me acalmei, olhei o relógio e vi que era hora da saída da minha pequena da escolinha, peguei-a e não via a hora de ir para casa.
Cheguei à casa louca por um banho, mas antes fui alimentar minha pequena, dei um banho e coloquei-a para brincar na minha cama enquanto eu tomava meu banho no banheiro do meu quarto. Entrei no banho, e com a água escorrendo sobre meu corpo pensei na loucura, no pau que eu havia chupado, no pq que eu não havia me permitido sentir aquele pau grosso entre minhas pernas, pois já fazia mais de um mês que eu não transava com meu marido.
Saí do banho e fui colocar a roupa para lavar, olhei meu vestido ainda com uma mancha de porrinha, e já fiquei com tesão, tentei me sentar para estudar mais não dava, entrei no MSN para falar com ele, dei um Oi, nada de resposta, enviei um SMS pedindo que entrasse no MSN, demorou uma meia hora e ele apareceu, pedi desculpas, e ele queria saber o pq de eu ter fugido, falei que havia errado, que ficará com medo e do que ele iria pensar de mim, pois era uma mulher casada a resposta foi:
-O que eu iria pensar? que tu estavas louca para fuder comigo, que não deves estar transando com teu marido, e para ser sincero estou louco pra meter meu caralho em ti.
fiquei muda com tanta honestidade, e confesso que estava mesmo louca para dar para ele, mas não tinha coragem de confessar, acho que nem para mim eu admitia realmente.
-QUANDO VOU TE VER DE NOVO?PODE SER AMANHÃ? EU DEIXO MINHA FILHA NA MÃE;
-Pode ser, mas se é para fugir melhor não, ou diz que tu só quer um amigo, e então nada de sexo;
conversamos mais um pouco, e falei que precisava dormir, custei para dormir, sei lá só de pensar em sentir aquela pica grossa e tesuda eu já ficava toda acesa.
No outro dia, era sexta-feira, fui para a Universidade pela manhã, no começo da tarde deixei minha filha na escolinha e fui ao Centro, fui comprar lingerie, queria umas calcinhas bem pequenas, e à tardinha deixei minha filha para dormir na minha mãe e fui para casa, falamos no MSN e fiquei de passar na casa dele para sairmos para conversar. Tomei um banho bem relaxante, me depilei deixando os meus pelinhos bem aparados, passei meus cremes e escolhi entre as que havia comprado um lingerie preta, e a dúvida era quanto ao que vestir, acabei escolhendo um vestido curto, bem mais curto do que eu usei quando fui na casa dele, coloquei meu perfume, comi alguma coisa leve, peguei uma caixa térmica e coloquei algumas latinhas de cerveja e uns keeps e avisei que estava saindo de casa, como não moramos muito longe e a rua dele era de muito movimento, pedi que já fosse saindo de casa ,dobrasse a esquina e fosse caminhando que eu o encontraria. Peguei meu carro e fui pensando onde poderíamos ir, pois eu era casada, e com esse pensamento o avistei caminhando na rua, camisa branca, calça jeans clarinha, estava uma perdição, parei o carro uns 10 metros à frente, me avistou e entrou no carro, e veio me dar dois beijos no rosto, e eu o beijei na boca, me respondeu o beijo com muito desejo, nossa, dei partida no carro e começamos a andar pela cidade, e ele já me perguntando aonde iríamos, eu não tinha ideia até que peguei o caminho em direção à praia e quando estávamos chegando avistei o motel temático Zoom (não existe mais) e entrei, eu nem olhava para o lado, e pedi o quarto japonês com ofurô, eu mesma paguei e quando entramos na garagem olhei para ele e falei que seria o melhor lugar para conversarmos, teríamos privacidade, pedi que fechasse o portão enquanto eu ia entrando, nossa entrei e parece que senti cheiro de pecado,, eu digo para vocês que estava completamente melada, molhada e em pé olhando para a decoração do quarto senti suas mãos me pegarem pelo quadril, senti encostar o corpo no meu corpo e já vi que tava duro, bem duro e me virei de frente para ele e começamos a nos beijar, eu me esfregava, queria sentir aquele pau duro no meu corpo, ele colocou as duas mãos na minha bunda ainda por cima do vestido, e só dizia:
-Que rabo, que rabo, sou louco pela tua bunda;
e ia puxando o meu vestido que não era muito comprido rsrs, e eu ficando doida, cheia de tesão, então me afastou, foi até a cabeceira da cama e colocou um som, ligou apenas as luzes indiretas, o ar condicionado e me pegou me levando até o centro do quarto e:
-Tira tua roupa, fica só de sutiã e calcinha;
-E TU?
-Eu vou tirar também, tira logo que quero te olhar,
eu comecei a desabotoar os botões e deixei o vestido cair, ele se levantou da cama, tirou a camisa, a calça, ficou só de cuecas e ficamos ali de pé nos olhando, nos devorando com os olhos, até que eu dei três passos para a frente, abracei e o beijei com tesão, por ser mais alto que eu senti a pica dura na minha barriga, ele colocou as mãos na minha bunda, que delícia aquela mão pesada, pediu que eu deitasse na cama baixa do quarto japonês e começou a me beijar o corpo, da boca para o pescoço, depois tirou meu sutiã e lambeu os meus seios, chupou suavemente, desceu pela minha barriga, abriu com força minhas pernas, e beijou a parte de dentro das minhas coxas, deu um selinho por cima da calcinha na minha bucetinha, voltou as coxas, e com os dentes foi tirando minha calcinha, como tava enterradinha no meu rabinho levantei o corpo e logo eu estava nua com um homem a centímetros da minha xaninha, e começou a me torturar, lambeu o entorno dos meus grandes lábios, chupou e abriu com as mãos a buceta, achou meu grelo duro e lambeu, chupou e eu gemi, gemi de tesão, e então senti sua língua quente e áspera adentrar no meu ninho, enfiou a língua lá dentro, e chupou tudo o que podia, até que quando eu estava me contorcendo de tesão ele cuspiu na minha buceta, nossa me acabei, eu não queria mas gozei gostoso na boca do meu namoradinho de infância, e ainda bem que estávamos no motel porque não aguentei e falei que era uma puta, que tinha me acabado só com a deliciosa chupada, e ele deitou no meu lado, me beijou e senti o gosto do meu néctar naquela boca, e quando fui pedir desculpas por ter sido rápida, ele levantou da cama, ficou em pé ao lado e tirou a cueca, aquela piça grossa apareceu finalmente na minha frente, fiquei de joelhos na cama, e comecei a beijar, lamber só a pontinha, só a cabecinha da pica, ai levei a língua por baixo e lambi toda a extensão do caralho gostoso, coloquei na boca e iniciei um boquete, chupei todo o pau, colocava todo na boca, depois tirava, mordiscava a cabeça e enfiava tudo de novo, quando olhei para ele adorei, estava com os olhos vidrados no meu corpo de joelhos na cama, e pedi porra, disse que não, e me deitou na cama e veio por cima de mim, roçou ou melhor lambeu com a piça a entrada da bucetinha, bateu com o caralho duro em cima do meu grelinho e pedi que usasse a camisinha, ele perguntou se eu tinha certeza que queria camisinha, e senti a cabeça forçar a minha buceta,
-POR FAVOR, COLOCA A CAMISINHA;
mal terminei de falar e senti a cabeça da pica lá dentro, ele colocava e tirava, botava tirava e perguntava se eu tinha certeza que queria camisinha, até que louca por aquele pedaço grosso de carne,
-EMPURRA ESSE CARALHO... SOCA,
e senti a piça entrando, alargando minha bucetinha que não sentia pica a mais de 30 dias, até que entrou tudo e começou a socar, socar forte, eu sentindo que ia me acabar e pedi para trocar de posição, pedi que deitasse e fiquei em cima e botei o caralho todo para dentro, aquilo ia me rasgando eu até sentia um pouco de dor, mas comecei a rebolar freneticamente na pica, até que me avisou que assim ia gozar, eu olhava pelo espelho, eu baixava os olhos e delirava com aquela carne enterrada em mim, até que me disse para sair de cima que ia gozar,
-QUER TIRAR É, QUER GOZAR FORA? NÃO MESMO QUERO ESSE LEITE TODO DENTRO DE MIM, AGORA QUEM QUER PORRA NA BUCETA SOU EU, NÃO VAI SAIR NÃO,
então eu senti a porra dentro da minha buceta, o safado gozando enfiou um dedo no meu cú e foi aí que me descontrolei e me acabei, caralho gozei muito, grunhi, gozei e gritei alto que estava gozando, que o pau dele era maravilhoso e finalmente acabei, deixei meu corpo cair sobre o dele. ficamos ali abraçadinhos e calados por uns 5 minutos, até que o convidei para o ofurô, enquanto enchia coloquei a camisa dele e fui até o carro e trouxe a caixa térmica, peguei uma cerveja para ele e um Keep cooler para mim, servi em duas taças e brindamos, eu falei que estava feliz por ter finalmente sentido a pica dele e ele disse que não poderia morrer sem provar minha buceta, nos beijamos, pediu que trouxesse a caixa para perto do ofurô e entramos, e logo que ele sentou eu fui e fiquei no colo dele de frente, e bebíamos e nos beijávamos muito,
-TU NÃO TEM NOÇÃO DO QUANTO EU GOSTEI;
-Eu também gostei muito, demorei quase vinte anos para te fuder, e saber que tu terminou comigo e logo deu para outro;
-TU QUE PENSA, MESMO NAMORANDO O TEU PRIMO FUI DAR PARA ELE QUASE UM ANO DEPOIS, ELE DIZIA QUE EU FODIA CONTIGO E AGORA NÃO QUERIA DAR PARA ELE;
-Eu sempre pensei que tu tinhas dado logo em seguida, mas enfim quem tirou teus cabacinhos foi ele;
-CABACINHOS?
- Sim, comeu tua buceta e teu cuzinho pela primeira vez;
-ENTÃO VOU TE CONTAR, NINGUÉM COMEU MEU CUZINHO;
-Opa, então é o cabaço que eu vou tirar;
-TA FICANDO LOUCO, DEPOIS DE VELHA VOU DAR ATRÁS? SEMPRE TIVE MEDO.
e notei que com este papo o pau dele ficou duro de novo, e enfiei ele para dentro de mim e comecei a rebolar bem devagarzinho, ele me abraçou e eu a rebolar com aquela coisa gostosa e grossa dentro de mim, até que senti sua mão na minha bunda, depois no meu reguinho até que chegou ao meu cuzinho, forçou a passagem, eu reclamei, mas ele enfiou o dedinho e rebolei mais, e vocês não vão acreditar que eu gozei...gozei gostoso com a pica na bucetinha e o dedo cutucando, descobrindo meu cuzinho, e ele disse que ia acabar, então pedi que se levantasse da água que eu queria chupar, e chupei, mamei e punhetei e então senti leite, porra, gala na minha boca, e quando fui tirar ele mandou eu tomar tudo, e engolir toda a porra, e eu tomei, tomei todo aquele leitinho quente e grosso, acabei e me sentei novamente no colo, pedi um beijo e por incrível que pareça me beijou com a minha boca ainda com gosto de porra, e eu larguei um:
-EU TE ADORO, EU TE QUERO PARA MIM;
-Eu também te quero muito, te quero SÓ pra mim;
estávamos ficando murchos, sai da água e fui ao chuveiro, e logo ele entrou comigo, e começamos a nos lavar e nos beijar e para variar foi subindo um fogo que achei melhor sair do banho, me enxuguei e tirei da bolsa uma nova lingerie das que eu havia comprado, uma calcinha de renda branquinha e quando ele saiu do banho eu estava deitada com meu rabinho para cima, e quando ele me viu falei que queria mais uma coisa antes de irmos embora,
- O que tu quer, vai me dar o cuzinho?
fiquei de quatro em cima da cama e disse que queria que ele me comesse assim, comigo empinando bem a bundinha. Ele veio até mim, que já estava na posição, tirou a calcinha até os meus joelhos, e lambeu minha xaninha, cuspiu no meu cuzinho, estremeci de tesão, depois lambeu novamente minha xaninha até eu pingar de tesão, e pedi, quase que implorei para que metesse o caralho grosso, senti a pica lamber meu cuzinho, pediu que eu abrisse bem as pernas e enfiou a cabeça na minha bucetinha já dilatada e foi empurrando toda a pica, e socou bem forte, recebi um tapa na bunda e UMA ORDEM para que rebolasse bem gostoso, eu no tesão que estava não precisava de ordem kkkk, comecei a rebolar muito na pica, nossa eu tirava quase tudo de dentro e quando via que poderia escapar socava de novo e rebolava muito, até que senti que iria gozar, e pedi para que viesse juntinho comigo, e me segurou forte e começou a entrar e sair, a bombear para dentro bem forte até que gritei, gemi, falei que era a puta dele, que queria aquela pica deliciosa para mim, e senti ele acabar lá no fundinho, senti a porra no fundo da minha buceta e ele tirou ainda gozando e acabou na entradinha do meu cú, e com o dedo meteu a porra pra dentro até que sentou na cama, nos beijamos gostoso, estava tarde, nos vestimos. Pegamos o carro e fomos embora, pois era muito tarde e eu não queria que alguém me visse o deixando em casa. Deixei-o no mesmo lugar que o apanhara, fui para casa dormir um pouco e quando cheguei a casa, fui direto para a cama, tirei minha roupa, passei a mão na bucetinha que estava toda alarga, enfiei um dedo e chupei, chupei o dedinho melecado da porra do meu ex-namorado de adolescência, e mandei um sms:
- QUERO SER TUA PUTA! QUERO MAIS!


Comentários

dgs em : 12/11/2021

Arrasou