Transei com a ex

Publicado por: frano69 em 05/08/2020
Categoria: Hetero
Leituras: 479 / Votos: 2 / Comentários: 1
Apesar de não mais viver com Geisy, minha ex-companheira, sempre mantive com ela uma relação amigável, desde que acertamos os ponteiros no processo de divórcio. Isto depois de inúmeras brigas. Mesmo estando em outros relacionamentos, acabamos numa transa surpresa depois da audiência, quando lhe dei carona e ela me convidou para tomarmos um chopinho para sela a paz entre nós dois. Vivemos juntos por 8 anos e posso dizer com todas as letras que entre outras coisas ela não era boa cama. Muito travada em matéria de sexo, detestava fazer boquete porque achava nojento e sexo anal era uma guerra. Se limitava a fazer o básico, ou seja, a velha posição papai-mamãe, não raras vezes me pedindo pra gozar fora. Além disso, era muito birrenta em vários aspectos, o que não quer dizer que eu também era chato com ela. Algum tempo depois da separação, finalmente nos tornamos bons amigos. Claro que guardando uma certa distância no intuito de não provocar ciúmes de seu companheiro e nem da minha companheira na época.
Um belo dia Geisy me mandou uma mensagem, no mínimo estranha:
- Preciso falar com você urgente. Me encontra naquele barzinho que agente frequentava hoje à tarde. Venha sozinho que é assunto particular. Não conte nada a sua mulher.
Curiosamente este lugar me trazia boas recordações, pois foi ali que nos conhecemos e nos apaixonamos. Logo, bateu a desconfiança que Geisy me convidaria para irmos pra cama depois de um drink, como já havia acontecido outras vezes. No entanto, fiquei na minha, deixando ela tomar a iniciativa. Na hora marcada já estava lá trajando uma calça leg Marrom, cuja calcinha ficava marcando seu bumbum e uma blusa bem solta e decotada de relativa transparência que dava pra ver o sutiã guardando seus lindos e grandes peitões. Sentamos, conversamos descontraidamente, tomamos um drink e Geisy olhou pra mim, sorriu e falou baixinho no meu ouvido:
- Vamos sair daqui. Hoje bateu uma vontade daquelas. Tô louca para foder contigo. Vem comigo.
Saímos rapidinho e tocamos direto pro motel próximo dali. Quando chegamos na suíte, ela me surpreendeu mais uma vez falando palavrões que não eram do seu vocabulário.
- Hoje, vamos foder como um homem e uma mulher que gostam de foder de verdade. Esquece que fui tua mulher, me come como uma puta.
Foi tirando a roupa enquanto falava aquelas palavras bem provocativas, ficando totalmente nua em questão de segundos. Quando fui desabotoando minha camisa ela disse: - Para. Deixa que eu tiro. Sempre quis fazer isso, mas você sabe que eu era muito careta. Agora isso mudou. Deixa eu realizar minha fantasia. Cansei de ser matrona. Hoje você vai conhecer uma mulher devassa meu gostosão.
Me deu um beijo de língua e foi desabotoando minha camisa, enquanto sua língua vinha lambem meu peito até chegar na minha calça que ela tirou bem devagar me deixando só de cueca. Tirou meu pau pra fora e pagou um delicioso boquete deixando-o duro como pedra. Quase gozei na sua boca com aquela chupação. Antes que meu orgasmo viesse, ela me chamou pra cama andando de quatro igual a uma tigresa no cio. Se posicionou de quatro e pediu que eu metesse sem dó na sua buceta. Bastou encostar a cabeça da minha pica na porta da sua xereca que já foi quase tudo, entrando com muita facilidade. Geisy gemia como uma vadia. Arrebitou um bundão jogando-o pra trás, fazendo movimentos pendulares pra cima e pra baixo com meu pau entrando e saindo daquela gruta quente e encharcada de tanto tesão. Senti seu grelo inchar a ponto de vê-la gritar de tanto prazer: - AAAAAAAAAAAAI. Eu tô gozando porra. Que pauzão gostoso. Enfia tudo dentro de mim, caralho.
- Como eu tava precisando dessa rola. Mete, mete tudo, vai.
Aquelas palavras foram demais pra mim. Acabei gozando litros de porra dentro da buceta. Ela continuou fazendo movimentos mais lentos para manter meu cacete dentro dela. Curiosamente meu pau continuou duro e passei a bombar mais forte. Na prática, estávamos emendando a segunda foda na primeira, coisa que jamais havia acontecido quando vivíamos juntos. Tudo aquilo era como um sonho antigo que eu estava realizando de ter a mulher que eu amava se entregando totalmente sem nenhum pudor. Geisy pediu para trocar de posição e resolveu fazer o upa cavalinho sentada no pau que entrava e saia daquela bucetona ávida de sexo. Cavalgou com tanta força que me deixou com o púbis dolorido por alguns dias. Geisy que gemia feito louca em cima do meu cacete, anunciou que iria gozar de novo.
- AAAAAAHHHH. Cacete, eu vou gozar de novo, porra. Goza junto comigo. Goza pra mim, enche minha xoxota com teu leite de macho, vai. Goza, goza, goza que eu quero sentir tudo dentro de mim, vai, goza meu macho.
Acelerou os movimentos e deu tesudo apertão no pau todo enfincado nela. Não deu outra. Gozei junto com ela. Foi um orgasmo tão intenso que quase vi estrelas. Geisy caiu exausta de tanto meter comigo. Depois de tanta trepação,relaxamos um pouco, tomamos um banho, nos vestimos e cada um foi pra sua casa realizado sexualmente. Prova disso é que continuamos nos encontrando secretamente até hoje sem que seu companheiro ou minha atual companheira desconfie de nada. Senão deu certo como marido e mulher, como amantes conseguimos acertar nossos ponteiros.


Comentários

teca em : 14/08/2020

Gostei, uma boa história.