Tirando o atraso

Publicado por: frano69 em 27/02/2022
Categoria: Hetero
Leituras: 366 / Votos: 0 / Comentários: 0
Olá gente boa que curte de sexo prazeroso sem culpas ou traumas. Estou de volta para relatar o que aconteceu comigo há seis meses atrás, quando tive de me ausentar de onde morava devido a compromissos profissionais. Como já citei antes, costumava sair com a Vânia, uma coroa enxuta casada liberada pelo marido broxa, que conheci justamente numa suruba com minha prima que é sapatão. Depois deste encontro fiquei sabendo que Vânia fazia bicos como dançarina numa boate de strip-tease da cidade da cidade. Ao descobrir quase que por acaso a sua identidade secreta, fazendo com que ela ficasse com medo que eu desse com a língua nos dentes e se tornou minha amante fixa, com a única condição de não transar na sua casa na cama do casal. De certo modo, vi que sua real intenção, senão era para comprar meu silêncio com seu sexo quente e despudorado, era para manter seu status de empresária de classe média bem conceituada da sociedade, inteiramente dedicada à família, aparentemente acima de qualquer suspeita, típico de pessoas hipócritas que não revelam o seu verdadeiro ser. Mas, fazer o quê?Cada um com suas escolhas. Depois de um semestre ausente retornei à cidade na expectativa de reencontrá-la, pois durante este ínterim quase não tive tempo para sair com uma mulher, mesmo que fosse uma vadia de esquina. Não sei porque razão, mas o tempo me deixou mais seletivo quanto a escolha de parceiras para encontros sexuais, pois já passei dos 40 e a vida me ensinou a não entrar em determinadas bocas quentes, ou seja, acabar entrando numa roubada. Ao chegar, mandei uma mensagem no What App de Vânia. Fiquei muito ansioso, pois ela custou a visualizar a mensagem. Depois de meia hora esperando uma resposta, veio uma foto como resposta. Ao abrir vi aquele bucetão depilado tido "Torre Eiffel" com uma carreira de pelos pubianos verticais que ia da linha da calcinha até seu grelo. Meu pau ficou duro na hora. Ainda contemplando a foto da buceta tesuda, veio a mensagem que esperava há muito tempo. - Me espere no local de sempre. Já estou a caminho.
Rapidamente foi onde agente se encontrava. Não demorou dois minutos e lá estava ela acenando para eu entrar no carro depressa. Não pensei duas vezes. Rumamos para o motel e quando lá chegamos fomos imediatamente para o quarto. Vânia fez questão de fazer um strip-tease para mim, revelando aquele corpão tesudo de uma quarentona que deixava qualquer gata de 20 no chinelo. Pediu que eu me deitasse de papo pro ar e caiu de boca no pau. Fez um boquete maravilhoso que pensei que iria gozar na sua boca antes de meter tudo na sua xoxota. Antes que isso ocorresse, falei pra ela que queria foder sua buceta. - Vamos meter, amor, sobe em cima do meu pau, vai.
- Vem gato. Mete esse pauzão dentro de mim que eu não aguento mais.
Entrou tudo de uma vez como se fosse faca na manteiga. Vânia subia e descia, cavalgando meu pau como uma desesperada, soltando suspiros e gemidos altos dizendo palavras sem nexo. Depois de cinco minutos me cavalgando ela soltou aquele líquido de squirting, gritando bem alto pra quem quisesse ouvir: - Aí, porra, eu tô gozando, caralho. Goza pra mim tesão, fode essa buceta. Foi tanto daquele líquido semelhante a xixi que pensei que ela não ia conseguir parar, pois quando para de sair ela esfregava o dedo no seu grelo e esguichava tudo de novo. Pediu para mudar para posição de frango assado e pediu que eu desse um tapa na testa da sua xota. Bati no seu grelo de leve e veio outra esguichada direto no meu umbigo. Passei a meter com forçar até gozar tudo dentro dela que fez questão de engolir todo meu esperma lambendo as pontas de seu dedos após meter na sua faminta buceta. Passamos a semana inteira fodendo feito loucos em todas as posições possíveis e imagináveis. Vânia declarou, inclusive, que essa a sua lua de mel de verdade.


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto